Franklin Deluzio

Franklin Deluzio é graduado em Filosofia (UESC), graduando em Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), Especialista em Gestão Pública Municipal (UESC), Design Digital Júnior, Design Editorial Júnior, Servidor Municipal de Ilhéus/BA. Áreas de interesse: Gestão e Desenvolvimento Urbano, Políticas Públicas, Plano Diretor, Administração de Recursos, Gestão Logística, Filosofia da Educação, Existencialismo, Ética e Discurso, Filosofia da Ciência, Meteorologia, Poder, Verdade e Sociedade em Foucault, Filosofia Jurídica e autores como Heidegger, Bauman, Habermas, Foucault, Derrida, Deleuze, Sofistas, Nietzsche, Sartre, Hannah Arendt, Freud, Carlos Roberto Gonçalves e Giovanni Reale.

Jovem representará Itabuna na seletiva do mister Bahia

Jovem representará Itabuna na seletiva do mister Bahia 5

Natural de Uruçuca o estudante de Educação Física, Matheus Fonseca de 19 anos, vai representar a cidade de Itabuna na seletiva para o Mister Bahia 2018. O desfile está marcado pata o dia 26 de maio no Hotel Sol Barra na capital baiana.

A competição é realizada desde 2012 pela Agência One Models o concurso tem o objetivo de selecionar a pessoa mais bela nas categorias infantil, juvenil e adulto da Bahia.

Além de avaliar a beleza, postura e atitude, o concurso procura jovens que sonham em viver este mundo miss e mister que serve como um propulsor de carreiras para quem quer ser modelo, ator, apresentador, entre outros. Continue lendo

Governo vai liberar saque do fundo PIS/Pasep para todos os trabalhadores

Governo vai liberar saque do fundo PIS/Pasep para todos os trabalhadores 6

O governo vai liberar o saque das contas do fundo PIS/Pasep para todos os trabalhadores, independente de idade, até o final de junho e estimular a economia neste ano, afirmou nesta quarta-feira (18/4) o relator da proposta, senador Lasier Martins (PSD-RS).

O senador disse que, com a investida, deverão ser injetados R$ 15 bilhões na economia. Originalmente, a Medida Provisória enviada pelo governo previa que apenas trabalhadores a partir de 60 anos poderiam sacar o dinheiro.

A versão do texto aprovada em comissão mista, na semana passada, estabeleceu que qualquer pessoa poderá sacar o dinheiro do fundo até 29 de junho deste ano. Depois disso, a idade mínima de 60 anos volta a valer.

O texto prevê ainda que o governo poderá aumentar o prazo dos saques gerais, sem critério de idade, para até 28 de setembro. Segundo o relator, isso dará aos trabalhadores um tempo adicional caso a medida demore para ser aprovada em caráter definitivo no Congresso Nacional.

Pela proposta, poderão sacar recursos os trabalhadores cadastrados no Fundo até 4 de outubro de 1988 e que ainda não retiraram o saldo total de cotas em suas contas individuais.

O texto ainda precisa ser analisado pela Câmara dos Deputados e depois pelo plenário do Senado. Continue lendo

3.055 documentos estão ‘esquecidos’ em postos do SAC de Ilhéus; veja como resgatar

3.055  documentos estão ‘esquecidos’ em postos do SAC de Ilhéus; veja como resgatar 7

Nas 63 unidades do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) na Bahia existem 74.912 documentos que foram ‘esquecidos’ pela população. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (19) pela Secretaria da Administração da Bahia (Saeb). Os documentos estão acumulados nos postos entre outubro de 2017 e março de 2018.

A Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) lidera o ranking com 32.010 documentos esquecidos pelos cidadãos baianos. Em seguida vem a Carteira de Identidade, que possui 25.465 unidades, e a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), com 9.306.

Para pegar os documentos o procedimento é simples. Basta comparecer na unidade SAC onde foi feita a solicitação e levar o protocolo de atendimento ou documento com foto. “O abandono dos documentos nos postos gera problemas operacionais e custos para o Estado, por causa do armazenamento, além de prejuízo para os cidadãos, que pagaram pelo serviço”, explica a secretaria, em nota.

Entre os 13 postos da capital e Região Metropolitana de Salvador (RMS), o Barra possui o maior montante de documentos represados (8.807), seguido pelo Paralela (4.848) e Comércio (4.304).

Nas 21 unidades do interior da Bahia, o maior número de documentos represados cabe à Barreiras (4.488), em seguida Irecê (3.425), e por último Ilhéus, com 3.055 documentos. Já nos 29 Pontos SAC, o município de Luís Eduardo Magalhães lidera com 648 documentos represados, seguido por Inhambupe (589), e Itaberaba, com 441.

No SAC da Barra, por exemplo, há carteiras de trabalho que foram produzidas em 2002, mas que até hoje não foram resgatadas pelos cidadãos. De acordo com a diretora Operacional da Superintendência de Atendimento ao Cidadão (SAC) da Secretaria da Administração (Saeb), Carla Santiago, a partir de 30 dias ele já é considerado como um documento represado. No caso de CTPS, o documento fica no posto até que o cidadão vá buscá-lo. A CNH é represada pelo seu tempo de validade, que são cinco anos. Já o RG, após seis meses, é incinerado.

Atualmente, o custo para tirar Carteira de Identidade é de R$ 36,25, e tempo máximo de entrega é de 15 dias úteis. Para renovar a CHN, o valor declarado pelo órgão é de R$ 159, sendo que o exame médico no valor de R$ 135 deve ser pago em clínica credenciada ao Detran. Para receber o documento na capital o prazo é de oito dias úteis, no interior depende da logística de malotes. A CTPS é gratuita e leva até 15 dias úteis para ficar pronta.

São emitidas, mensalmente, uma média de 82 mil carteiras de identidade por toda a rede SAC. O segundo documento mais procurado na rede é a CNH, que responde pela emissão de 35,6 mil documentos todo mês. No SAC, a emissão da primeira e segunda vias da CTPS gera um total de 16,9 mil carteiras expedidas. O documento pode ser solicitado em 12 dos 13 postos fixos da capital e RMS, além das unidades fixas lotadas no interior. Continue lendo

Professor da UFSB vira réu após denúncia de falsificação de certificados da UFES

O professor universitário Bruno Borges Deminicis, doutor em Ciências Agrárias, virou réu após ser denunciado pela falsificação de dois certificados de iniciação científica da Universidade Federal do Espírito Santo. Os documentos foram usados por um estudante para obter pontuação em processo seletivo de mestrado no interior de Minas Gerais.

A denúncia feita pelo Ministério Público Federal do Espírito Santo foi aceita pelo juiz da 1ª Vara Federal de Cachoeiro de Itapemirim, André Luiz Martins da Silva, no dia 3 de abril. O professor será julgado pela suposta falsificação de documento público, crime com pena de dois a seis anos de reclusão e multa. Por se tratar de um servidor público, a pena pode ser aumentada em um sexto.

Atualmente, de acordo com informações da Plataforma Lattes, Bruno faz parte do quadro de docentes da Universidade Federal do Sul da Bahia, com sede em Itabuna. O G1 tentou contato com o professor por telefone e por mensagem de texto, mas não teve retorno até esta publicação.

De acordo com o Ministério Público, os certificados foram confeccionados por Bruno, e a falsidade foi constatada porque os documentos não possuem registro de autenticidade na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Ufes. Continue lendo

ILHÉUS: Chuva causou estragos, mas previsão prevê pouca chuva para próximos dias

ILHÉUS: Chuva causou estragos, mas previsão prevê pouca chuva para próximos dias 8

Foto: Defesa Civil

Uma casa foi interditada pela Defesa Civil de Ilhéus, após parte do imóvel desabar na terça-feira (17). Não houve feridos. Conforme o órgão, um barranco que fica na área da casa cedeu após a chuva na região, e atingiu a estrutura do imóvel.

Uma idosa de 60 anos e a neta dela, uma jovem de 23 anos, ficaram desalojadas. Elas foram morar com familiares. As duas deverão ser beneficiadas por auxílio moradia oferecido pela prefeitura.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Ilhéus, Joandre Neves, a casa fica na Rua Alto Formoso, no bairro Conquista. O deslizamento foi provocado pela chuva intensa que atinge a cidade há cerca de nove dias. Além desse, outros deslizamentos atingiram o bairro, mas com menor gravidade. Continue lendo

Consórcio de Saúde da Região do Baixo Sul – Valença – BA abre Processo Seletivo

Consórcio de Saúde da Região do Baixo Sul - Valença - BA abre Processo Seletivo 9

O Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região do Baixo Sul, no Estado da Bahia, está com as inscrições abertas do Processo Seletivo que visa preencher 51 vagas de Níveis Médio/ Técnico e Superior destinadas à Policlínica Regional de Saúde, sediada em Valença – BA.

As oportunidades são para os cargos de: Assistente Administrativo (5); Enfermeiro (2); Farmacêutico (1); Médico Anestesiologista (1); Angiologista (1); Cardiologia – Cardiologista (2); Cardiologia – Ecocardiografia (2); Cardiologia – Ergometria (1); Cirurgião Geral (1); Diagnóstico por Imagem – Ultrassonografia Geral (1); Endocrinologia e Metabologia (1); Endoscopia Digestiva (2); Ginecologia e Obstetrícia (2); Ortopedia e Traumatologia (1); Radiologia e Diagnóstico por Imagem (1); Gastroenterologista (1); Mastologista (1); Neurologista (1); Oftalmologista (1); Otorrinolaringologa (2) e Urologista (1); Nutricionista (1); Ouvidor (1); Psicólogo (1); Técnico em Enfermagem (9); Técnico em Radiologia – Tipo I (3); Técnico em Radiologia – Tipo II (3) e Técnico de Nível Superior – Assessor Técnico (1). Deste total, há funções para pessoas que se enquadram nos itens estabelecidos pelo edital.

Em jornadas de trabalho de 20h a 40h semanais, os profissionais contratados farão jus a remunerações que partem de R$ 1.188,13 e podem chegar a R$ 5.000,00. Continue lendo

Cultura Livre – Me diz quanto vale!

Cultura Livre – Me diz quanto vale! 10

Coisa raríssima em Ilhéus é ter a possibilidade de pleitear algum recurso público para qualquer tipo de atividade cultural. Entra governo e sai governo, mudam suas equipes e pastas e não muda praticamente nada! A inércia da questão cultural permanece tão rígida e sem vida quanto a estátua em frente a casa Jorge Amado. Quem quiser que se aproxime e tire seu retrato! A estátua de Jorge estará sempre ali, simpática e mórbida!
Reconhecemos que ao menos agora temos aberta uma seleção pública de propostas culturais, por meio do Edital Cultura Livre da SECULT. Em meio à caótica transição histórica que atravessamos mundo a fora – que reverbera na realidade de milhares de pessoas que estão à margem desse sistema de “des-privilégios” – qualquer MIGALHA ofertada a quem está habituado a não esperar nada do setor público, tende a soar como a última Coca-Cola do deserto.

O Edital Cultura Livre plagia o Edital Calendário das Artes da Fundação Cultural do Estado da Bahia, FUNCEB. No entanto, enquanto a FUNCEB reconhece enquanto mínimo de recurso, o valor líquido de R$10.400, para que uma ação de pequeno porte tenha algum impacto na vida social de qualquer município baiano, a SECULT/Ilhéus copia e cola os termos do edital, no entanto, propõe como prêmio o valor líquido de R$2.000, com previsão de contemplar 45 projetos. Engano imaginar que os serviços que contratamos localmente para executar projetos socioculturais custam mais baratos. Ou que quem produz cultura em nível local, vive de fontes de renda de atividades paralelas e tem nas práticas culturais apenas uma complementação de renda ou hobby (passatempo). Quais outros possíveis modelos de Política Pública para a Cultura atenderiam as diferentes expectativas e perfis de gestores, produtores, artistas ou grupos culturais localmente?

A primeira justificativa apresentada é que a realidade da FUNCEB não é a mesma da SECULT/Ilheús, em termos de disponibilidade de recursos públicos para executar uma política. Sendo assim, mais uma razão para conceber uma política com termos específicos para atender a uma realidade local também específica. Bom considerar que em nível municipal foi aprovada a lei 3.638, de 20/12/12, que dentre outros termos, prevê que 0,5% do Orçamento Público Municipal anual (arrecadado via cobrança do IPTU e ISSQN) deve ser destinado ao Fundo Municipal de Cultura. No entanto, essa lei caminha para o aniversário de 06 anos, e NUNCA, nenhum centavo do Orçamento Público Municipal foi destinado ao Fundo Municipal de Cultura. Logo, o problema NÃO É A INEXISTÊNCIA DE RECURSOS PÚBLICOS PARA A CULTURA. O problema é a INEXISTÊNCIA DE VONTADE POLÍTICA, para fazer com que a Lei Municipal de Cultura seja APLICADA, por exemplo. Consideramos que a “realidade local” assume tais contornos, com a conivência da SECULT, da sociedade e dos grupos artístico-culturais (não organizados enquanto setor que comunga de interesses comuns, e quase sempre em disputa por pequenos espaços/poderes). Continue lendo