Ilhéus sedia oficina sobre vigilância, prevenção e controle da Febre Amarela

Ilhéus sedia oficina sobre vigilância, prevenção e controle da Febre Amarela 1

Deu início na manhã desta quarta-feira (23), no Hotel Praia do Sol, em Ilhéus, no Sul da Bahia, a oficina sobre vigilância, prevenção e controle da Febre Amarela. O evento regional é organizado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado da Bahia (Divep/Suvisa/Sesab), com articulação do Núcleo Regional de Saúde Sul e da Coordenação Geral das Arboviroses (CGARB/SVS/MS). A programação segue até sexta-feira (25).

No local, profissionais das Regionais de Saúde e municípios prioritários que atuam na vigilância epidemiológica das arboviroses e na vigilância de epizootias e vigilância de vetores relacionada à vigilância da Febre Amarela. O objetivo é ampliar a sensibilidade do sistema de vigilância na detecção precoce da circulação do vírus amarílico na Bahia, possibilitando a predição do risco, a prevenção e controle de casos autóctones de Febre Amarela.

Nível nacional – Alberto Araújo, diretor de Planejamento, representou o secretário Geraldo Magela, durante o primeiro dia das atividades. Embora seja um evento regional, considerou a programação de nível nacional, já que a estratégia foi capitaneada pelo Ministério da Saúde. “São doutores e especialistas nas áreas de Vigilância à Saúde, dispostos a serem multiplicadores nos municípios, e tudo isso coloca Ilhéus num patamar diferenciado”.

A iniciativa foi destacada também pelo diretor da Vigilância à Saúde, Aloísio Correia Leite, que aproveitou a oportunidade para lembrar da importância de manter a sentinela viva em todos os municípios do Nordeste. “Os casos registrados de Febre Amarela apontaram a morte de primatas e não de humanos. Contudo, precisamos manter a vigilância sempre. O Centro de Controle Zoonoses está em alerta para os possíveis casos no município”.

Alcance esperado – Com o evento, organizadores esperam alcançar alguns resultados, entre eles, atualização e capacitação das equipes estaduais da região Nordeste, das regionais de saúde e de municípios prioritários da Bahia, quanto as ações de vigilância epidemiológica e imunização, de vigilância de primatas não humanos e epizootias, além da entomologia e controle vetorial aplicados à Febre Amarela.

Almejam melhor integração entre os diferentes setores atuantes na vigilância e resposta, com fluxo ordenado como preparação para monitoramento sazonal da FA 2019/2020, conforme protocolos de vigilância e contingência. Elaboração de análises de situação de saúde e preparação para comunicação de risco, de modo padronizado, sistemático e reprodutível em nível regional e local, integrados ao sistema nacional de vigilância epidemiológica da FA.

Ainda de acordo com a Divep, a oficina pretende atualizar, treinar e capacitar técnicos para a vigilância, monitoramento e resposta, com base em métodos e critérios atualizados para a avaliação de risco e cenários para priorização das ações durante transmissão de Febre Amarela silvestre, além de maior capacidade para vigilância, detecção e respostas integradas, na vigilância da Febre Amarela, durante período sazonal 2019/2020, informou a Secom Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *