Prefeitura pede conscientização sobre descarte irregular de lixo em Ilhéus

Prefeitura pede conscientização sobre descarte irregular de lixo em Ilhéus 1

Ilhéus coleta porta a porta uma média mensal de 200 toneladas de resíduo domiciliar. A atividade é dividida com a limpeza das ruas do município. Esse tipo de recolhimento é realizado, em todas as vias com condições de tráfego de caminhões na cidade. Onde o veículo não passa, a coleta é manual, como ocorre nas escadarias dos morros.

Hermano Fahning, titular Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, pede mais consciência da população a respeito do descarte irregular de lixo. Ele registrou que a Prefeitura Municipal eliminou 22 pontos que continham lixeiras viciadas e concluiu que o lixo urbano é um problema social. “A Prefeitura deve coletar o lixo, mas o cidadão precisa ajudar”.

Segundo a secretaria, 100% do município é coberto pelo serviço. Das faixas de areia das praias, retira-se uma média mensal de 20 toneladas de lixo. A CTA, empresa responsável pela coleta opera com novos caminhões e 160 novas lixeiras foram instaladas na Orla Sul, Litorânea Norte e Lomanto Junior para intensificar o fluxo de coletas.

Óleo vazado – Há 60 dias um carregamento de óleo (petróleo cru) vazado atinge as praias do Nordeste brasileiro desde o início de setembro. A origem ainda é desconhecida segundo os órgãos competentes. Em Ilhéus, as manchas chegaram no último dia 25 de outubro, e desde então, equipes de limpeza se dividem nas praias juntamente com voluntários.

Em alguns pontos, a Prefeitura manterá contenedores, tipo de depósito colocado em alguns bairros, a exemplo do Alto Formoso, na Conquista. O espaço, recém-inaugurado, foi totalmente requalificado com obras de contenção de encosta, mirante e praça de convivência. O antigo lixão, agora abriga uma das mais belas vista da cidade.

Fahning observou ainda que as consequências do descarte irregular de resíduos ocasionam entupimentos de bueiros que provocam a proliferação de doenças. “Isso é caso de saúde pública e contamos com a compreensão da população com relação ao seu lixo. O dinheiro gasto para corrigir essa situação poderia ser aplicado para outros fins.

Dados recentes mostraram que no Brasil a disposição dos resíduos sólidos ainda se dá, na maior parte das cidades, em lixões, o que ocasiona uma série de problemas de ordem social, econômica, sanitária, além da poluição e da contaminação do ambiente (IBGE, 2000). Todo mundo gera lixo, e cada um é responsável pelo descarte correto do que não quer mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *