AVC atinge 1 em cada 4 pessoas; médico faz alerta no Dia Mundial de Combate a doença

AVC atinge 1 em cada 4 pessoas; médico faz alerta no Dia Mundial de Combate a doença 1

Condição que atinge uma em cada quatro pessoas ao longo da vida, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou derrame, tem um dia referência para o seu combate, em 29 de outubro. De acordo com a Academia Brasileira de Neurologia, a condição é a segunda causa de morte no mundo e a primeira causa de incapacidade. A estimativa é de que a cada ano 13,7 milhões de pessoas tem um AVC no mundo, 5,5 milhões morrem e atualmente existem 80 milhões de sobreviventes do acidente.

O AVC acontece quando o suprimento sanguíneo é reduzido ou bloqueado. Entre as consequências está a chance de perda súbita da função neurológica, ocasionando lesões cerebrais. Os dois tipos de AVC são o Isquêmico – mais comum, quando um vaso que irriga o cérebro é bloqueado – e Hemorrágico – quando há a ruptura de um vaso sanguíneo, causando sangramento dentro ou ao redor do cérebro.

O médico neurologista, Ramon Kruschewsky, alerta que 90% dos casos de AVC podem ser evitados a partir do reconhecimento dos sinais de alerta, rápido tratamento e mudanças no hábito de vida. “Os fatores mais prevalentes para desenvolver o AVC são comuns na nossa rotina. O tabagismo, hipertensão, sedentarismo… A alimentação também tem impacto relevante nesse processo. É um clichê mas é real: a alimentação mais saudável possível ajuda na prevenção. Comendo mais vegetais, evitando grande demanda de açúcar”, alerta.

Quanto às sequelas, o médico sinaliza que podem ser várias, desde a dificuldade na capacidade de atenção, sensação térmica alterada, sensação de formigamento, estados depressivos, até o óbito. Ainda conforme o médico, a sequela está diretamente ligada com a área do cérebro afetada: “em média 1,9 milhão de neurônios morrem por minuto na isquemia cerebral. É muita coisa e o tempo é a maior válvula para conseguir salvar essa vida. As sequelas dependem de que área do cérebro será afetada, onde pode ocorrer o AVC. Pode mexer numa região do cérebro responsável por te manter acordado, pode mexer na parte responsável pela sua fala ou pela compreensão do que você está falando”, elencou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *