ILHÉUS: Secretaria de Saúde divulga resultado do LIRAa, e mapa de infestação do mosquito Aedes aegypti

ILHÉUS: Secretaria de Saúde divulga resultado do LIRAa, e mapa de infestação do mosquito Aedes aegypti 1

Nova avaliação das informações sobre infestação por larvas do Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, Zíka, Febre Amarela e Febre Chikungunya, revela que 15 bairros estão em risco de surto da doença em Ilhéus.

No geral, o índice predial na cidade foi de 7,1% dos imóveis pesquisados apresentam larvas do Aedes aegypti, que coloca a cidade em situação de alerta. Todavia, 18 bairros apresentam um índice satisfatório, mas deve continuar permanentemente a prevenção, não deixando qualquer recipiente com água. 

O resultado do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), apresentado nesta sexta-feira (03) pela Secretária de Saúde Elizângela Oliveira e o Coordenador de Endemias Roberto Almeida, tem como metodologia a identificação onde estão concentrados os focos dos mosquitos em cada bairro. A divulgação do LIRAa é simultânea ao lançamento da Campanha Nacional de Combate às Arboviroses para reforçar o alerta que vem sendo feito pelo Ministério da Saúde. Este ano, a campanha aumentará o tom de alerta, com o testemunho de pessoas que tiveram dengue, zika e febre chikungunya e lembrando as que morreram em decorrência das doenças.

“Apesar de que o grau de conhecimento das pessoas sobre a doença e a prevenção seja avançado, o ilheense sabe que tem papel primordial na eliminação dos focos do mosquito, o que ainda é um desafio. Prova disso é o resultado do LIRAa deste ano. Neste aspecto, ainda é necessário o esforço da população em fazer sua parte, tendo em vista, que mais de 90% dos focos se encontram nas residências, logo, cada um fazendo a sua parte iremos contribuir para um verão sem epidemia das doenças transmitida pelo mosquito” alerta o Coordenador de Endemias Roberto Almeida. 

Vejamos alguns bairros que necessitam de uma intervenção urgente da população, como por exemplo, Banco da Vitória com 16,7%, Alto do Coqueiro 21,4% e Salobrinho com 21,2, esses necessitam uma ação imediata, haja vista, que o Ministério da Saúde classifica como satisfatório quando o índice está abaixo de 1% de larvas do Aedes aegypti.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *