Colo Colo corre o risco do rebaixamento

Com uma das piores campanhas dos últimos anos, o Colo Colo enfrentará o Vitória da Conquista no quadrangular da morte. O time de Ilhéus terá dois jogos contra o adversário para tentar fugir do rebaixamento para a segunda divisão.
As partidas começam no próximo fim de semana. O primeiro jogo deve ser no estádio Mário Pessoa, em Ilhéus. A Federação Baiana de Futebol divulga até quarta-feira o horário dos confrontos.
O Colo Colo é forte candidato a cair para a segunda divisão do Campeonato Baiano. O time de Ilhéus não conseguiu vencer uma única partida e encerrou a primeira fase do estadual goleado por 1×4 pelo Vitória da Conquista.
Dos 6 jogos, o Colo Colo empatou 2 e perdeu 4, e ficou na última colocação na classificação geral. As outras duas equipes que vão disputar o quadrangular da morte são Jacuipense e Feirense.(a região)

Governo adverte empresas terceirizadas que prestam serviço nas escolas estaduais

A Secretaria da Educação da Bahia mandou recado para as empresas terceirizadas que prestam serviço nas escolas estaduais, de que está notificando oficialmente as que apresentam irregularidades e não estão pagando os salários.
As empresas que ainda estão com fatura a receber precisam apresentar documentação comprovando que já pagaram os funcionários. A Secretaria ressalta que os novos contratos serão regidos pela Lei Anticalote.
“Isso garantirá maior segurança nas relações contratuais e, também, no pagamento aos funcionários terceirizados”. A Lei Anticalote reforça a preservação de direitos essenciais, ao determinar que sejam retidos os trabalhistas.
Evita, por exemplo, situações em que as empresas decretam falência e deixam de cumprir as obrigações trabalhistas. Para isso, provisiona recursos para férias, abono de férias, 13º salário, multa do FGTS e INSS.

Dos 515 contratos de terceirizados do Estado, 341 já estão regidos pela Lei Anticalote. A Secretaria de Educação diz ainda que assegura o cumprimento dos 200 dias letivos e será elaborado calendário especial para compensar as aulas.
fonte a regiao

Porto Sul e Fiol : Rui volta da China com acordos para acelerar obras na Bahia

Importantes obras de infraestrutura, equipamentos e mobilidade urbana para a Bahia ganharão, nos próximos meses, um novo impulso como resultado da missão internacional liderada pelo governador Rui Costa em sua viagem à China. Ele desembarcou no Aeroporto Internacional de Salvador às 16h20 desta segunda-feira (14). 
Na bagagem, Rui traz diversos acordos firmados com empresários asiáticos que vão garantir, nos próximos meses, o aprofundamento dos estudos técnicos e negociações que possibilitarão o andamento de obras importantes de infraestrutura no estado, a exemplo do Complexo Porto Sul e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), além do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que ligará o Subúrbio Ferroviário ao Comércio, e o novo Centro de Convenções da Bahia. 
Um dos resultados mais promissores da viagem do governador à China foi o acordo assinado com uma das maiores construtoras chinesas – a China Railway Engineering Group (Crec) – e o Fundo Chinês para Investimento na América Latina (Clai-Fund) para construir e operar o Porto Sul e a Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), em associação com o governo baiano e a Bahia Mineração (Bamin), que explora o minério de ferro em Caetité, na Bahia. 
Porto Sul e Fiol 
O Complexo Porto Sul será construído em Aritaguá, em Ilhéus, e já tem as licenças prévia e de implantação, além da autorização para supressão de vegetação, emitidas pelo Ibama. Com o início das obras, que o governador Rui Costa espera retomar agora com os chineses, o Porto Sul se transformará em um dos principais exportadores de minério de ferro, grãos, biocombustíveis e fertilizantes, transportados pela Fiol. 

“Os chineses possuem a tecnologia mais avançada e experiência de sobra para fazer essas obras avançarem na velocidade que a Bahia precisa. Nossos projetos entusiasmaram os dirigentes da Crec e Clai-Fund, e isso permitiu estabelecermos um acordo histórico, que vai viabilizar os investimentos e destravar de uma vez por todas essas obras importantes para a Bahia”, comemorou Rui.
Obra do governo federal, a Fiol, que vai ligar Ilhéus, na Bahia, à Figueirópolis, no estado do Tocantins, formará um corredor de transporte, abrindo uma nova alternativa logística para os portos no Nordeste brasileiro. Com a atual crise econômica, as obras foram desaceleradas pelo governo federal. Mas o acordo com o grupo chinês prevê a inclusão de quatro trechos da Fiol no solo baiano, entre Ilhéus e Caetité, que estão em fase final de construção e serão concluídos. 
Para viabilizar o investimento chinês na ferrovia, o governo federal iniciou os estudos para a venda antecipada da capacidade operacional da ferrovia. Assim, os recursos obtidos serão usados na conclusão da obra e a empresa garante o direito de transportar suas cargas por determinado período de tempo.
O Clai-Fund atuará como principal investidor e captador de novos parceiros para o projeto, principalmente grandes siderúrgicas chinesas. A participação no complexo logístico baiano será a maior operação do Fundo na América Latina. Já a Crec é uma das maiores construtoras de ferrovias do mundo, responsável, dentre outras, pela construção da Transiberiana, a linha férrea que liga os extremos da Rússia e tem mais de nove mil quilômetros de extensão.
Centro de Convenções 
Dentre as oportunidades de negócios que apresentou aos investidores chineses, a exemplo das fontes alternativas de energia – eólica e solar –, Rui destacou o novo projeto do Centro de Convenções da Bahia. “Salvador é uma cidade de forte apelo turístico e estamos buscando parceiros para viabilizar, a construção desse novo empreendimento”, que deve ser localizado na região do Comércio. 
Rui apresentou a proposta de projeto arquitetônico do equipamento e destacou que a proximidade do empreendimento com o Centro Histórico de Salvador e a localização em frente ao mar ampliam as possibilidades de retorno para as empresas interessadas em se associar ao projeto.
VLT 
No último dia da missão comercial na China, na sexta-feira passada (11), Rui Costa também garantiu a evolução das conversas sobre o investimento chinês no sistema do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), interligando o Subúrbio Ferroviário ao bairro do Comércio, que substituirá os atuais trens que operam até o bairro da Calçada, em Salvador. 
Foi assinado memorando com uma das maiores empresas chinesas na área de infraestrutura e logística, a China Tiesiju Civil Engineering (CTCE). O principal executivo da companhia, Chuanlin Wang, se comprometeu a enviar uma delegação à Bahia já em abril, para viabilizar a implantação do VLT de Salvador. Além do VLT, os técnicos da CTCE, empresa que já construiu mais de 13 mil quilômetros de ferrovia, aprofundarão os estudos sobre projetos de água e saneamento para Salvador.
A licitação do VLT sai ainda este ano e a expectativa, na avaliação de Rui Costa, é que a CTCE possa executar o projeto na capital baiana no mesmo ritmo que realiza obras na China e em outros países onde possui investimentos. “A tecnologia da empresa impressionou nossa comitiva e faremos todos os esforços para garantir a parceria”, afirmou Rui. 
O executivo da CTCE, Chuanlin Wang, também demonstrou interesse em investir no projeto da Ponte Salvador-Itaparica e na Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). Para o executivo, a segurança proporcionada pela modalidade de Parceria Público-Privada (PPP), apresentado pela Bahia em diversos outros empreendimentos, é interessante para novos investimentos da empresa. 
“Nós temos grande interesse em iniciar nossos investimentos no Brasil e sentimos segurança na modelagem proposta pelo governador. Vamos buscar essas duas primeiras ações (VLT e água e saneamento) como teste para investir em projetos maiores na sequência, já com a experiência aprovada”, disse Wang.
Outro interesse dos chineses na Bahia é a criação de jumentos no semiárido baiano para exportação. O consumo chinês de carne de jegue anual é da ordem de 4 milhões de animais.

Escola de ilhéus na Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace)

Alunos da rede estadual de ensino participam, entre estas terça e quinta-feira (15 a 17), da 14ª mostra de projetos da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontece na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Dos 20 projetos da Bahia selecionados para a feira, 14 são de estudantes de escolas do Estado. O evento objetiva estimular o comprometimento do jovem pelo estudo científico. 
De acordo com informações da Febrace, os 341 projetos finalistas foram selecionados entre mais de 2,2 mil inscritos diretamente pelos estudantes ou por meio das 125 escolas afiliadas. O incentivo ao desenvolvimento social e tecnológico faz parte das ações do programa Educar para Transformar.
Os projetos abrangem diversas áreas do conhecimento e se destacam por oferecer soluções criativas para problemas reais. Idealizado pelas alunas Laíse Conceição de Brito e Beatriz de Souza, do Colégio Estadual Padre João Montez, em Pojuca, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), o projeto ‘Abordagem das Viroses (Zika e Chikungunya) nas Instituições de Ensino da Cidade’ destaca a importância da participação das escolas no combate ao mosquito transmissor dessas doenças.
“Percebemos que estudantes e professores, por diversas vezes, faltaram às aulas por terem sido acometidos principalmente pela Zika. Nesse sentido, entendemos que as escolas [podem] atuar para ajudar no processo de prevenção, através de palestras, visitas de agentes da saúde e formação de professores. Acreditamos que juntos somos mais fortes, é esse o objetivo do nosso projeto”, explicou Laíse.

Reciclagem e descendência das aves
Outro projeto é o ‘Reciclagem: Uma Ideia Que Muda Você’, elaborado por dois alunos do Colégio Estadual Padre Luiz Soares Palmeira, do município de Vitória da Conquista (região sudoeste), Rodrigo Santos e João Ítalo Pereira. 
Constituído de maquetes, réplicas e protótipos, utilizando materiais descartáveis, o projeto busca estimular uma compreensão mais ampla em relação ao meio ambiente e transformar isso em ação. “Eu sempre gostei de reciclagem, desde pequeno. Então resolvemos elaborar um projeto mostrando a impor-tância da reciclagem”, disse Rodrigo Santos.
O orientador do projeto ‘Evolution – Proposta de nova descendência das Aves’, Adaltro José Araújo, foi indicado para concorrer ao Prêmio Professor Destaque, que reconhece os empenhos dos docentes na orientação e acompanhamento dos estudantes na construção dos projetos. “É muito gratificante, me sinto realizado porque é o reconhecimento do nosso trabalho”. 
PROJETOS SELECIONADOS
‘Abordagem das Viroses (Zika E Chikungunya) nas Instituições de Ensino da Cidade de Pojuca’
Colégio Estadual Padre João Montez, Pojuca
‘Acarajé Funcional’
Centro Territorial de Educação Profissional do Litoral Norte e Agreste Baiano’, Alagoinhas
‘Apresentação Preliminar da Avaliação Ambiental do Rio das Pedras – Conde, Bahia
Centro Integrado de Educacão do Conde
‘Baraticida: Super Matador de Insetos’
Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira, Ilhéus
‘Evolution – Proposta de Nova Descendência das Aves’
Colégio Estadual Wilson Lins, Valente
‘Lavar as mãos. Por que não?’
Centro Estadual de Educação Profissional em Biotecnologia e Saúde, Itabuna
‘Ler ou não ler? Eis a questão’
Centro Estadual de Educação Profissional em Controle e Gestão do Nordeste Baiano Pedro Ribeiro Pessoa, Catu
‘Motor Dance: um fomento à prática da dança e exercício físico aos alunos portadores de necessidades especiais’
Colégio Estadual Cesar Borges, Valente
‘Os donos da escola: Ressignificação do ambiente escolar através do grafite’ 
Colégio Estadual Antonio de Deus Seixas, Catu
‘Produção de Etanol 2ª geração a partir de resíduos de frutas’ 
Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira, Ilhéus
‘Protótipos de Robôs e Microscópios de Materiais Reciclados: uma Alternativa para Iniciação Científica na Educação Básica’
Colégio Estadual Antônio Carlos Magalhães, Itapicuru
‘Rapcalc – Calcula pra mim’
Centro Territorial de Educação Profissional da Bacia do Rio Corrente – Cetep, Santa Maria da Vitória
‘Reciclagem: Uma Ideia Que Muda Você!’
Colégio Estadual Padre Luiz Soares Palmeira, Vitoria da Conquista
‘Uma análise da avaliação sensorial do doce Nego Bom’
Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep) do Vale do Jiquiriçá, Amargosa.
Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia

Agências dos Correios não vão mais abrir aos sábados

Sabrina Craide – Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

O presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, diz que até o fim do ano, a empresa espera economizar R$ 1,6 bilhão com ações de redução de despesasValter Campanato/Agência Brasil
A partir do próximo sábado (19), a maioria das agências dos Correios não vai mais abrir aos sábados. A medida é uma forma de reduzir os gastos da empresa e tentar chegar ao fim do ano com o orçamento em dia. Apenas as agências com grande movimentação, como em aeroportos e rodoviárias, continuarão abertas aos sábados.
“Queremos fazer um ajuste financeiro para, que ao final deste ano, os Correios não tenham deficit como no ano passado”, explicou o presidente dos Correios, Giovanni Queiroz. O balanço de 2015 da empresa ainda não foi concluído, mas no final do ano passado, Queiroz estimava que o deficit da estatal chegaria a R$ 2 bilhões.
Segundo o presidente, muitas agências são deficitárias e com baixo fluxo de clientes aos sábados, como a de Teófilo Otoni (MG), onde a receita média aos sábados é R$ 416 e a despesa para abrir é R$ 6,6 mil. “Não há nada que justifique estar aberta ao sábado”, diz. A medida não vale para as agências franqueadas dos Correios, só para as agências próprias. Atualmente, os Correios têm 6.471 agências próprias e 1.011 franqueadas.

Redução de despesas
Até o fim do ano, a empresa espera economizar R$ 1,6 bilhão com diversas ações de redução de despesas. Os Correios estudam a possibilidade de fundir agências que estejam próximas, realocando os funcionários e fechando as que dão prejuízo. Ainda neste mês, um projeto-piloto deve começar a funcionar no Distrito Federal e depois pode ser levado para outras cidades do país.
Queiroz deu o exemplo de sua cidade natal, Redenção (PA), onde atualmente há duas agências dos Correios, mas uma delas é pequena e deficitária. “Tem uma agência maior, em que faltam funcionários, e tem muito mais condições, fica a 800 metros da outra. Não faz sentido manter essa outra, porque tem um custo muito alto”, diz. Ele garante que nenhum município ficará sem pelo menos uma agência dos Correios.
O presidente fez uma recomendação para que todas as agências reduzam o pagamento de horas extras e o trabalho noturno dos funcionários. No ano passado, a empresa pagou R$ 720 milhões com hora extra. “Em nenhuma circunstância vamos prejudicar o serviço, vamos fazer um ajuste de gestão”, garante.
O corte pela metade dos gastos com publicidade e patrocínio, que no ano passado significou R$ 380 milhões, também é objetivo dos Correios para economizar. Outras medidas administrativas, como revisão de contratos de aluguel, redução do uso de carros, telefone, viagens e diárias serão adotadas. Também será feita uma auditoria na folha de pagamento para detectar pagamentos irregulares de benefícios.
Aumento de arrecadação
Para aumentar as receitas, os Correios vão começar a prestar os serviços de telefonia móvel virtual, chamada de MVNO (Mobile Virtual Network Operator). A concorrência para escolher a operadora de celular que irá fazer a parceria com os Correios para vender o chip com a marca da empresa será feita nesta semana. Com o serviço, a empresa pretende arrecadar R$ 282 milhões nos cinco anos de contrato.
Outra medida para aumentar a arrecadação dos Correios será a ampliação do número de agências que oferecem a venda de consórcios, como de veículos e imóveis, de 190 para 3,2 mil até o fim do ano. A estatal também vai investir no setor de logística e já iniciou a negociação para ser o operador logístico oficial de todos os setores do governo federal, como já faz com a distribuição de livros didáticos e de medicamentos.

Promotores contestam envio de investigação contra Lula para Curitiba

Ivan Richard – Repórter da Agência Brasil Edição: Fábio Massalli

Os promotores do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) Cássio Roberto Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo criticaram hoje (14) a decisão da juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, da 4ª Vara Criminal do estado, de encaminhar à 13ª Vara Federal de Curitiba (PR) o processo que apura se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o proprietário oculto de um apartamento triplex no Guarujá, litoral paulista. Eles não descartaram a possibilidade de recorrer da decisão.

Para os procuradores, responsáveis pela denúncia contra Lula e que também pediram a prisão preventiva do ex-presidente e de mais seis pessoas na semana passada, a competência do caso é da Justiça paulista. “Embora respeitem a decisão, [os promotores] entendem que a competência seria mesmo do Juízo Criminal desta capital e não da Vara Federal de Curitiba, pois os fatos têm origem e relação com a Cooperativa Habitacional dos Bancários [Bancoop], sediada em São Paulo, sem ligação alguma com os fatos relativos à Petrobrás”, argumentam os promotores em nota.

Segundos os promotores, não há razões para enviar a análise da denúncia para a 13ª Vara Federal de Curitiba, onde estão concentrados os processos da Operação Lava Jato, porque a denúncia do MP-SP apura a titularidade do imóvel e não benfeitorias. De acordo com os promotores paulistas, a Lava Jato investiga se recursos oriundos do esquema de corrupção na Petrobras financiaram a reforma do triplex e a compra de móveis e eletrodomésticos.

Manifestações mostram crise sistêmica na política

O que está movendo a mobilização é a investigação da Lava Jato, que é muito transversal a todos os partidos políticos. A investigação afeta PT, PMDB e PSDB.

As manifestações ocorridas nesse domingo (13) no país mostram que o Brasil vive uma crise sistêmica na política, na avaliação de especialistas ouvidos pela Agência Brasil.  
Apesar de o foco dos atos ter sido a crítica à corrupção, ao governo da presidenta Dilma Rousseff e ao PT, o professor de Gestão de Políticas Públicas da Universidade de São Paulo (USP), Pablo Ortellado, disse que a crise não é apenas do mandato da petista. “A Dilma é expressão máxima, mas acho que a gente não vai ter estabilidade tão logo. O que está movendo a mobilização é a investigação da Lava Jato, que é muito transversal a todos os partidos políticos. A investigação afeta PT, PMDB e PSDB. Isso já está gerando uma crise sistêmica e vamos ver que solução o Brasil vai encontrar para isso, porque estamos com poucos atores [políticos] com legitimidade”, disse Ortellado, que esteve na mobilização de ontem na capital paulista e estuda os protestos de rua em São Paulo nos últimos anos.
Para o professor da USP, o fato de políticos terem sido vaiados e hostilizados na manifestação realizada na Avenida Paulista, como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), mostra que os manifestantes estão insatisfeitos com todos os partidos políticos. 
“A desconfiança não está apenas no PT. Para os manifestantes, o PT é um caso máximo e muito grave de corrupção, mas a corrupção é sistêmica e está espalhada por todos os partidos políticos. A desconfiança não está apenas nos partidos políticos, mas também nas suas principais lideranças. Poucos escapavam desse sentimento e é isso que a gente viu mais uma vez aqui [em São Paulo]. Quando os políticos se arriscaram a tentar ter um papel mais proeminente e subir nos carros de som, foram impedidos. Essa é uma novidade desse processo porque esta foi uma manifestação que foi chamada por partidos políticos também, não apenas por grupos da sociedade civil”, afirmou Ortellado.

Para o professor Ortellado, a instabilidade política pode gerar uma situação preocupante. “Isso pode abrir para uma situação muito perigosa para algum aventureiro se cacifar com um discurso antipolítico. Foi o que aconteceu na Itália com o [ex-primeiro-ministro Silvio] Berlusconi ou o que está acontecendo nos Estados Unidos agora com o [pré-candidato presidencial republicano Donald] Trump. Uma pessoa que vem de fora do sistema político que busca consertar isso, mas sem programas políticos claros”.
Falta de representatividade
O cientista político Márcio Malta, da Universidade Federal Fluminense (UFF), também acredita que a crise política é estrutural. “É uma crise estrutural em termos de uma falta de representatividade em relação a todos os políticos: o Cunha [Eduardo Cunha, presidente da Câmara], o Temer [Michel Temer, vice-presidente da República], o PSDB, o PT. É como se falassem: não nos sentimos representados por esses políticos no Planalto e no Congresso. Parte da população que está indo para as ruas repudia também esse tipo de comportamento de alguns políticos que tentam tirar proveito nesse tipo manifestação”, disse.
Para Malta, o país está sem uma agenda. Na avaliação do cientista político, a saída passa por ações propositivas, reforma política e financiamento público de campanha efetivos. “A classe política tem responsabilidade: tem que entender essas manifestações pelo viés do que está levando as pessoas às ruas e por que tantas pessoas estão insatisfeitas com o governo. O quadro é bastante complexo, mas é preciso respeitar a Constituição”.
Segundo o professor da UFF, um outro fator que aumenta a insatisfação da população é a crise econômica. “Ela é decisiva. À medida que a classe média perde poder de consumo, também essa insatisfação e indignação crescem. Mas as instituições não podem ser abaladas, por exemplo, por uma crise econômica. Tem que respeitar o rito de um presidente eleito e a oposição, se estiver insatisfeita, que se organize e dispute uma próxima eleição”, afirmou.
Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: Carolina Pimentel

FUNRIO adia o resultado preliminar da prova discursiva do IFBA para professores

Como consequência da intensa chuva que atingiu a cidade do Rio de Janeiro na noite deste último sábado, 12/3, alguns dos nossos equipamentos foram danificados face ao alagamento ocorrido em nossa instalação. 

Neste domingo, 13/3, iniciamos a recuperação de informações perdidas.

Face a este fato lamentável, informamos que o “Resultado preliminar da prova discursiva”, previsto para ser divulgado nesta segunda-feira, 14/3, fica adiado para as 10h do dia 17/3, quinta-feira.

Os recursos poderão ser impetrados a partir das 10h do dia 17/3 até as 17h do dia 18/3.

Pedimos desculpas pelo transtorno!

CORREIOS: déficit é um dos motivos de greve. Necessidade de concurso é urgente

Em greve desde o último dia 7, trabalhadores do Centro de Distribuição Domiciliária (CDD) dos Correios em Senador Camará, zona Oeste do Rio de Janeiro, chamam a atenção para as condições precárias da unidade, que incluem sobrecarga de trabalho diante do déficit de empregados, segundo a diretora regional do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos do Rio de Janeiro (Sintect-RJ), Débora Henrique. De acordo com o sindicato, a defasagem apenas naquela unidade é de 20 trabalhadores. Há previsão de divulgação do edital de um novo concurso dos Correios em meados deste ano.
Débora Henrique falou sobre a dimensão do problema de pessoal. “Desde 2011 a empresa não faz concurso público e isso sobrecarrega demais quem está trabalhando. Um carteiro chega a fazer o trabalho de três”, disse a sindicalista. “Isso afeta diretamente a população, que espera receber as suas encomendas dentro do prazo. Muitas vezes, a pessoa vai para as filas dos postos de atendimento para tentar resgatar a sua mercadoria, que está dentro da unidade e o Correio não tem funcionário suficiente para entregar”, completou. Os frequentes roubos a carteiros também têm contribuído para aumentar o déficit de pessoal, uma vez que após os incidentes, esses trabalhadores saem de licença, em função do abalo psicológico.
À Agência Brasil, os Correios informaram ter tomado providências quanto às reclamações dos funcionários, tais como capina do terreno, controle de pragas e mutirão de limpeza. A empresa prometeu ainda fazer obras nos banheiros, que também foram objetos das reivindicações. A expectativa da estatal era a de que os funcionários retomassem as atividades ontem, quinta-feira, dia 10.

A Folha Dirigida entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da estatal pedindo um posicionamento quanto à carência de pessoal apontada pelo sindicato na unidade. Em resposta, a empresa voltou a informar que está reavaliando todos os estudos relacionados ao quantitativo de vagas a serem preenchidas, assim como a necessidade de força de trabalho em cada localidade. Os Correios explicaram que a medida se baseia na determinação do Departamento de Coordenação e Controle da Empresas Estatais (Dest), que estabeleceu novo limite ao quadro de efetivo dos Correios. A empresa prometeu ainda dar ampla divulgação sobre o tema assim que houver novidades.
A previsão de que o edital do novo concurso dos Correios seja divulgado no meio deste ano foi passada à Folha Dirigida em novembro do ano passado pelo diretor regional dos Correios no Rio de Janeiro, Márcio Vieira. A publicação ocorreria justamente após o levantamento sobre o efetivo. O edital do concurso chegou a estar previsto para agosto do ano passado, porém a publicação teve que ser suspensa temporariamente após orientação do Dest. A previsão à época era de oferta de cerca de 2 mil vagas e formação de cadastro de reserva para agente de Correios, de nível médio, nas atividades de carteiro e operador de triagem. Para o Rio de Janeiro, seriam oferecidas 144 vagas, além do cadastro. A seleção é aguardada há mais de dois anos.
A remuneração inicial de carteiro é de R$2.885,37 e a de operador, R$2.348,87, já incluindo benefícios e adicionais. Os valores são para trabalho de segundo a sexta. Os que trabalharem de segunda a sábado ganharam R$3.017,42. As contratações são pelo regime celetista. Segundo parte do projeto básico do novo concurso, ao qual a Folha Dirigida teve acesso, os candidatos terão que passar por provas objetivas de Língua Portuguesa, Matemática e Conhecimentos Gerais, teste de esforço físico e exame médico admissional, para os convocados.
Com informações da Folha Dirigida.

ITABUNA: Governo Vane o pior da história de Itabuna

Oton Matos um dos homens de confiança de Vane, Segundo informações está insatisfeito com a decisão tomada pelo alcaide. Dizem que ele colocou seu cargo a disposição.
Roberto José, Presidente da FICC, deixou bem claro em redes sociais que a água não se mistura com o óleo. A carta de demissão já está batida falta só Vane assinar a rescisão.
Silas Alves, chefe de gabinete, foi muito criticado dentro desses quatro anos de governo por blindar o Prefeito. Está se desligando do governo devido a decisão de Vane apoiar os comunas. O mesmo será pre-candidato a Vereador, não se sabe o partido.
Chico ex-vereador e hoje Secretário de Assistência Social, está deixando o cargo para apoiar Augusto Castro e lançar sua candidatura a reeleição a Vereador.
Harrison Leite, Procurador do Município, alega que é Professor da Universidade Federal da Bahia e não tem tempo de exercer a função de Procurador. Mas porque só agora no final do governo ele viu isso? Dizem que ele não marcharia com os comunas. 
Mariana Alcântara um fracasso como Secretária de Administração. Esta deixando o governo porque Vane decidiu apoiar os cururus. Por mim já vai tarde.
Jean Baraúna Chefe do RH segundo informações já pediu demissão para cuidar de seu escritório e de sua vida particular.

P.S. Vane parece não se cansar de chutar seus próprios testículos. 

Azulzinho Notícias

Ultra Li

ADMINISTRAÇÃO DE SITES, BLOG E HOSPEDAGEM WEB
Administração técnica do seu site e blog, mantendo o funcionamento otimizado.

Solicite seu orçamento Aqui