O município de Ilhéus enfrenta um surto de gripe ainda não identificada pelas autoridades sanitárias. De acordo com especialistas, já se esperava a circulação de outro vírus com a queda iminente dos casos de covid-19, agora que boa parte da população está vacinada. Isso explica a excentricidade de uma epidemia  no verão.

O que se observa, é que a população está concentrada em se vacinar contra a covid-19, por isso há uma baixa cobertura vacinal contra a gripe, o que levou a doença a ganhar espaço. 

Não é difícil você ir em um bairro de Ilhéus e não ouvir relatos de pessoas com uma virose/gripe, com sintomas como, dor no corpo, febre, coriza e tosse. Mas é bom se previnir, uma vez que estes são os mesmos sintomas da Covid-19.

Apesar de os sintomas serem quase idênticos, alguns especialistas já se manifestaram acerca das pequenas diferenças entre as doenças.

Para entender as semelhanças e as diferenças entre cada uma delas, o Canaltech conversou com Ana Elisa Almeida, professora de infectologia da Jaleko, uma plataforma para estudantes de medicina. Essas três doenças (rinite, gripe e COVID-19) se assemelham porque acometem o trato respiratório, causando sintomas similares, como coriza e obstrução nasal. Em alguns casos, como na gripe e na COVID-19 (mas não na rinite), a febre é comum.

A rinite é a inflamação da mucosa de revestimento do nariz, caracterizada por alguns dos sintomas nasais: obstrução nasal, coriza, espirros, coceira nasal e hiposmia (perda parcial do olfato). Geralmente, segundo a especialista, os sintomas ocorrem durante dois ou mais dias consecutivos, por mais de uma hora na maioria dos dias.

Enquanto isso, o Ministério da Saúde descreve a gripe como uma infecção aguda do sistema respiratório, provocada pelo vírus influenza, com grande potencial de transmissão. “O vírus da gripe (influenza) propaga-se facilmente e é responsável por elevadas taxas de hospitalização. Existem quatro tipos de vírus influenza/gripe: A, B, C e D”, explica a pasta.

Segundo Almeida, pacientes com rinite, gripe e COVID-19 podem ter sintomas leves, mas nos casos de gripe e COVID-19, os sintomas podem se tornar graves. Em relação à transmissão, o vírus da gripe pode se espalhar mais rápido que o da COVID-19. Além disso, a alteração no olfato pode ocorrer na rinite e na COVID-19, porém é mais proeminente na infecção pelo coronavírus.

No caso da gripe, o aparecimento dos sintomas é mais rápido. Em relação à rinite, a genética e fatores ambientais têm grande influência. “No caso de surgimento dos sintomas, é fundamental avaliação médica para diagnóstico e manejo adequados”, relembra a professora.

Segundo a médica, na gripe, o paciente tem comprometimento de vias aéreas superiores (estruturas compreendidas do nariz até à laringe) associado a pelo menos um sinal de comprometimento sistêmico. Os sintomas comuns são: coriza, tosse não produtiva, rouquidão, dor de garganta, febre súbita, mialgia, calafrios, mal-estar geral, apatia, fadiga e dor de cabeça.

“A síndrome gripal, usualmente, é um quadro autolimitado e a maioria das pessoas afetadas recupera-se em três a cinco dias, embora a tosse e mal-estar possam persistir por até duas semanas. Em alguns casos, o paciente pode evoluir para falta de ar ou sinais de gravidade, queda da saturação de oxigênio, aumento da frequência respiratória, piora clínica ou hipotensão, caracterizando a síndrome respiratória aguda grave”, explica a infectologista.

Já entre os pacientes com COVID-19 sintomáticos, dor muscular difusa e dor de cabeça são os sintomas mais comumente relatados. “Outros sintomas, incluindo diarreia, dor de garganta e alterações no cheiro ou paladar também são relatadas. A pneumonia é a manifestação grave de infecção mais frequente, caracterizada principalmente por febre, tosse, falta de ar, geralmente uma semana após o início dos sintomas, e alterações nos exames radiológicos do tórax”, acrescenta.

Vejas as principais diferenças:

Os demais sinais e sintomas da gripe (influenza) são habitualmente de aparecimento súbito, como:

Calafrios;
Mal-estar;
Cefaleia;
Mialgia;
Dor nas juntas;
Prostração;
Secreção nasal excessiva;

Podem ainda estar presentes na gripe (influenza) os seguintes sinais e sintomas:

Diarreia;
Vômito;
Fadiga;
Rouquidão;
Olhos avermelhados e lacrimejantes;

O novo coronavírus, o SARS-CoV-2, responsável pela COVID-19, pode causar vários sintomas diferentes que, dependendo da pessoa, podem variar desde uma simples gripe até uma pneumonia grave.

Normalmente os primeiros sintomas da COVID-19 aparecem 2 a 14 dias após uma possível exposição ao vírus, e incluem:

Tosse seca e persistente;
Febre acima de 38º C;
Cansaço excessivo;
Dor muscular generalizada;
Dor de cabeça;

Garganta inflamada;

Coriza ou nariz entupido;

Alterações do trânsito intestinal, principalmente diarreia;

Perda de gosto e olfato.

Além da vacinação orienta-se a adoção de outras medidas gerais de prevenção para toda a população. Medidas estas, comprovadamente eficazes na redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, como vírus da gripe:

Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel, principalmente antes de consumir algum alimento;
Utilize lenço descartável para higiene nasal;
Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir;
Evite tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
Mantenha os ambientes bem ventilados;
Evite contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;
Evite sair de casa em período de transmissão da doença;
Evite aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados);
Adote hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;

Gostou da matéria siga-nos no Instagram (clique aqui)

::Publicidade

Compartilhar Post:

1 thought on “ILHÉUS VIVE EPIDEMIA DE GRIPE AINDA NÃO IDENTIFICADA; VEJA OS CUIDADOS QUE DEVE TOMAR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *