Construções históricas de Morro de São Paulo serão tombadas nesta segunda-feira (23)

Construções históricas de Morro de São Paulo serão tombadas

Na próxima segunda-feira (23), às 10h30, acontece a cerimônia de transferência da administração da Fortaleza de Morro de São Paulo da Secretaria de Turismo (Setur-Ba) para o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Na oportunidade, também será realizada a Assinatura do Termo de Tombamento Provisório do perímetro que abrange o farol, gameleira, porta ló, praça, igreja de Nossa Senhora da Luz e a própria fortaleza.

“Estas construções são registros da história da Bahia, que trazem em si uma grande riqueza simbólica e arquitetônica. Cuidar deste patrimônio é de grande interesse para o Governo do Estado, que vem se dedicando a potencializar ainda mais a movimentação turística e a dinamização cultural da região”, afirma a Secretária de Cultura, Arany Santana.

A área a ser tombada pelo Ipac, autarquia vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (SecultBa), contempla edificações históricas de Morro de São Paulo, localidade pertencente ao município de Cairú e um dos destinos turísticos mais visitados da Costa do Dendê. “O tombamento valoriza os atrativos de Morro de São Paulo, cuja história e características naturais atraem visitantes do mundo inteiro e chama atenção para a necessidade de preservação”, disse o secretário estadual do Turismo, Fausto Franco.

De acordo com João Carlos de Oliveira, diretor geral do Ipac, a ideia é trabalhar na elaboração de um modelo de gestão para o equipamento, em parceria com a prefeitura de Cairu, que mantém no local o serviço de atendimento ao turista. “Vamos apresentar uma proposta que contempla, além da visitação turística, que o forte abrigue restaurante, cafeteria e eventos culturais do Governo do Estado, bem como do município”, afirmou.

A Fortaleza – A Fortaleza de Morro de São Paulo, datada do século XVII, foi construída para evitar aproximação de embarcações inimigas durante o período do Brasil Colônia. Em janeiro de 2018, o patrimônio foi reaberto para visitação após requalificação onde que foram investidos R$ 14,4 milhões com o objetivo de impulsionar o destino turístico da região.

A intervenção foi realizada sob a responsabilidade do Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Baixo Sul (Ides), com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Governo do Estado da Bahia, além do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e de empresários locais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *