21 de fevereiro de 2024

A mulher de 57 anos achada morta em Ilhéus, foi enterrada na manhã desta sexta-feira (5), em Ibitapitanga, cidade a cerca de 102 km de Ilhéus. Ela era dona de uma barraca de praia na cidade.

De acordo com a polícia, a suspeita é de que Celidalva Souza Pacheco tenha sido vítima de latrocínio, pois alguns pertences dela foram roubados. O corpo da vítima não tinha ferimentos e há suspeita de que ela foi asfixiada.

A delegada Andrea Oliveira, que investiga o caso, disse que a equipe de investigação vai ouvir testemunhas que podem ter visto um homem com a vítima. A polícia disse ainda que a suspeita é de que um homem, contratado por ela para consertar um freezer, tenha cometido o crime. O suspeito, que não teve a identidade divulgada, é procurado.

Celidalva foi encontrada morta pelo próprio filho, na entrada de um bar desativado, no bairro Mamoan, em Ilhéus. O jovem acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que constatou o óbito. O corpo da vítima foi encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) da cidade do sul da Bahia e liberado por volta das 17h.

Conforme informações do DPT, o material da perícia foi encaminhado para Salvador com o objetivo de descobrir o motivo da morte de Celidalva e se ela sofreu abuso sexual, informou o G1.

Compartilhar Post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *