Tecnologia

Como baixar e ler os dados que o Facebook guarda sobre você

Como baixar e ler os dados que o Facebook guarda sobre você 1

O Facebook armazena dados pessoais disponíveis nos celulares dos próprios usuários, como ligações e mensagens de SMS. A coleta de dados não é recente, mas acabou repercutindo após o desenvolvedor de software Dylan McKay divulgar a informação nas redes sociais. A proximidade do episódio com a obtenção de 50 milhões de dados pela consultoria Cambridge Analytica também colaborou para a repercussão.

A rede social consegue essas informações quando o usuário permite o acesso do bate-papo Messenger aos contatos ou ao baixar o aplicativo do Facebook. O programa apresenta condições como “ler seus contatos”, “ler compromissos e informações confidenciais” da agenda, “ler suas mensagens de texto (SMS ou MMS)” e “ter acesso total à rede”.

Segundo o site de tecnologia Ars Technica, a coleta de dados do Facebook ocorreu durante o período em que o controle sobre as permissões no Android eram menos restritas. Recentemente, o Google mudou esse processo para que fique mais claro aos usuários a quais dados os aplicativos terão acesso, mas os desenvolvedores ainda podem receber registros de ligações e SMS até que a empresa descontinue a antiga tecnologia de interface de programação de aplicativos (API).

Conforme relato de usuários, que tiveram acesso ao próprios dados, a coleta do Facebook acontece há anos. Até o momento, o sistema operacional iOS não foi afetado. Continue lendo

CONTRATE.BA: Governo lança aplicativo de intermediação para mão de obra

CONTRATE.BA: Governo lança aplicativo de intermediação para mão de obra 2

O governador Rui Costa lançou, na manhã desta segunda-feira (26/3), no auditório do Ministério Público (MP-BA), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, o Contrate.BA, serviço de intermediação de mão de obra autônoma. O objetivo é promover a contratação de trabalhadores que prestam serviços autônomos com as facilidades de um aplicativo para celular e um portal na web, garantindo a confiabilidade do serviço disponibilizado.

O aplicativo está disponível para Android e será disponibilizado para IOS em cinco dias úteis. O site contrate.ba.gov.br já está no ar. Segundo o governo do Estado, o aplicativo já foi lançado com cadastro de 1.300 prestadores, mas o propósito é alcançar 10 mil. Nesta primeira etapa, a nova ferramenta digital terá abrangência em Salvador e Lauro de Freitas.

Para os profissionais interessados em se cadastrar, é necessário comparar na Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), responsável pelo Contrate.BA, se inscrever, e aguardar a confirmação e a convocação da Secretaria. Ao ser incluído no sistema, o interessado deverá apresentar a documentação exigida e realizar o treinamento comportamental, garantindo maior confiabilidade ao serviço prestado. Também serão orientados sobre o funcionamento do serviço.

Poderão se habilitar no serviço técnicos de manutenção de eletrodomésticos, personal trainers, técnicos de manutenção de automóveis, pintores, personal organizers, web designers, fotógrafos, maquiadores, eletricistas, enfermeiros,diaristas, dentre outros. Continue lendo

Detran alerta população sobre golpe pelo WhatsApp

Detran alerta população sobre golpe pelo WhatsApp 3

O Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) alertou para um golpe que está circulando no WhatsApp. De acordo com o órgão, usuários denunciaram que receberam mensagens pelo aplicativo de supostos funcionários do Detran, oferecendo facilidades em serviços do órgão, como liberação de veículos removidos em blitz.

O suposto funcionário cobra um pagamento em dinheiro. O Detran destacou que a ação é “um golpe praticado por uma quadrilha que atua também em outros estados”. De acordo com o órgão, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) foi acionada e está investigando o caso, conforme diz A Tarde.

TECNOLOGIA: Entenda o escândalo do Facebook

TECNOLOGIA: Entenda o escândalo do Facebook 4

A rede social de Mark Zuckerberg foi utilizada para coletar dados indevidamente e manipular a opinião pública durante eleição nos EUA.

Um escândalo envolvendo a eleição norte-americana de 2016, o uso dos dados de milhões de usuários da maior rede social do mundo e práticas eticamente questionáveis de uma empresa de análise de dados tomou conta das manchetes de todo o mundo na última semana.

No sábado (13), os jornais britânicos The Guardian e The Observer, e o norte-americano The News York Times, publicam reportagens sobre o uso irregular de dados coletados de 50 milhões de usuários do Facebook.

A fonte dessa informação foi Christopher Wylie. Em entrevista exclusiva, ao Channel 4, da TV britânica, cientista de dados explica como realizou a coleta das informações sem o consentimento dos usuários.

Tudo começou em 2014, quando 270 mil pessoas aceitaram os termos de uso do aplicativo ‘This is Your Digital Life’, criado pelo professor de psicologia Aleksadr Kogan, da universidade de Cambridge. O Facebook foi informado que os dados seriam usados em uma pesquisa acadêmica.

Em seguida, Kogan foi contratado para trabalhar para a Cambridge Analytica, uma consultoria política que tinha como vice-presidente Steve Bannon e como um dos principais investidores o bilionário Robert Mercer. Continue lendo

Twitter quer todos os utilizadores com “check” azul

Twitter quer todos os utilizadores com “check” azul 5

Como é que sabemos que uma personalidade é realmente quem diz no Twitter, no Facebook ou no Instagram? Graças a uma pequena bola azul com um sinal de ‘certo’ ou ‘ok’ que permite distinguir, por exemplo, a conta verdadeira de Donald Trump de uma conta falsa com o mesmo nome. Agora, Jack Dorsey, o presidente executivo e co-fundador do Twitter quer estender esta verificação a todos os utilizadores.

“A nossa intenção é abrir a verificação a todos os utilizadores”, explicou Dorsey durante um livestream, esta quinta-feira, que contou com a presença de outros executivos da rede social. Num post em destaque na conta de Jack Dorsey, o executivo manifesta que o próximo compromisso do Twitter é encontrar uma forma de os utilizadores serem “publicamente responsáveis”  no debate público.

Como noticia o Recode, Dorsey quer todos os utilizadores verificados, um projeto que a rede social tenta avançar há vários anos, mas que por não ter encontrado a melhor solução para verificar todos os utilizadores, não arrancou. Atualmente o critério utilizado pelo Twitter para verificar uma conta é ter “interesse público”.

Uma das razões da rede social para não avançar já com as contas verificadas por todos os utilizadores, é “as pessoas acreditarem que isso significa que o Twitter apoia este utilizador”, como explicou David Gasca, um dos diretores de produto. No vídeo, Gasca afirma que a verificação apenas autentica o utilizador, não significa um apoio à conta. Continue lendo

Brasil entra na lista de preocupação especial com pirataria

Brasil entra na lista de preocupação especial com pirataria 6A Aliança Internacional de Propriedade Intelectual (IIPA) acaba de divulgar seu relatório anual sobre proteção à propriedade intelectual e combate à pirataria.

A entidade aponta preocupação especial com 19 países, entre os quais o Brasil – que está na chamada Lista de Atenção. O capítulo do Brasil ocupa 13 das 218 páginas do documento.

Segundo a IIPA, “os principais obstáculos a uma resposta eficaz contra a pirataria incluem falta de recursos, treinamento insuficiente de pessoal, desavenças políticas entre as autoridades federais e estaduais e a falta de uma estratégia nacional integrada”. Continue lendo

Aprenda a identificar se uma promoção no WhatsApp é golpe

Aprenda a identificar se uma promoção no WhatsApp é golpe 7

O WhatsApp é um dos apps mais populares do Brasil, com mais de 120 milhões de usuários. Mas a plataforma também é muito utilizada para golpes que servem para induzir pessoas a fazer pagamentos indevidos ou instalar aplicativos com malwares (é um programa de computador destinado a infiltrar-se em um sistema alheio de forma ilícita, com o intuito de causar alguns danos, alterações ou roubo de informações). Muitos desses golpes utilizam táticas de elemento surpresa: ele parece legítimo e pega qualquer um desprevenido para funcionar. Por isso, conheça agora algumas dicas para evitar cair em golpes desse:

A técnica de praticamente todos os golpes é a mesma, e utiliza o mesmo princípio do “phishing” (em inglês corresponde a “pescaria”, tem o objetivo de “pescar” informações e dados pessoais importantes através de mensagens falsas.) , que funciona em emails.

Cibercriminosos enviam um texto chamativo (uma promoção, um cupom de desconto, proposta de emprego) e, ao final, um link para cadastro ou baixar algum aplicativo. 

O primeiro download geralmente tem aparência inofensiva: mas ele é apenas um programa que prepara seu smartphone para downloads maliciosos de verdade. O mesmo pode ocorrer via SMS, que aceitam links.

Uma possibilidade é o golpista ainda pedir para você compartilhar a mensagem com todos os seus contatos ou se inscrever em algum serviço pago de SMS. Não é preciso dizer que você não deve fazer nada disso.

Para identificar esses golpes a dica é praticamente a mesma para saber se um app é falso: tenha paciência. Os criminosos se aproveitam da pressa e da instantaneidade dos apps de mensagens para que você clique no link sem pensar. Continue lendo

WhatsApp vai ampliar limite de ‘apagar para todos’ para 68 minutos

WhatsApp vai ampliar limite de 'apagar para todos' para 68 minutos 8

O anúncio de que o WhatsApp permitiria remover uma mensagem para todos os envolvidos numa conversa foi uma das grandes novidades de 2017, mas o limite de tempo de 7 minutos deixou muita gente decepcionada. Agora, o aplicativo parece querer ir além e permitir a remoção definitiva de mensagens por muito mais tempo.

Segundo o WABetaInfo, site que destrincha todas as atualizações do WhatsApp atrás de novidades, o aplicativo vai expandir o limite de 420 segundos para 4080 segundos, multiplicando o período em que a mensagem pode ser excluída em quase 10 vezes. Na prática, isso significa que você terá 1 hora e 8 minutos para remover alguma publicação.

A mudança já pode ser percebida se você utiliza a versão beta do aplicativo para Android, mais especificamente se você estiver rodando a versão 2.18.69 ou superior. Usuários de iOS e Windows vão ter que esperar um pouco mais, assim como os usuários de Android que não usam a versão beta.

Nos testes com o beta do WhatsApp, de fato foi possível superar o limite dos 7 minutos, tanto ao enviar uma mensagem para quem usa a versão convencional do app quanto para quem também está rodando a edição experimental. Quando tentamos repetir o procedimento com o WhatsApp comum, não foi possível apagar a mensagem depois do período de 7 minutos. Continue lendo

Anúncio
Técnico em informática em Ilhéus

Técnico em informática em Ilhéus