Saúde

Faculdade Madre Thaís implanta projeto ‘Bem Me Quero’ com o objetivo de atuar na promoção da saúde da mulher.

Faculdade Madre Thaís implanta projeto 'Bem Me Quero' com o objetivo de atuar na promoção da saúde da mulher. 1
O Projeto ‘Bem Me Quero’ é mais uma iniciativa da Faculdade Madre Thaís (FMT), visando aprofundar o conhecimento dos seus alunos, transferir conhecimento e levar o bem estar a população, principalmente àquelas faixas menos assistidas. A iniciativa dos cursos de Biomedicina e Enfermagem foi idealizada pelas professoras Renata Couto e Milena Aleluia e vai permitir a realização do exame preventivo do câncer do colo do útero.
Para realização do exame preventivo (Papanicolau), as interessadas devem fazer o agendamento nas terças-feiras, das 13h30min às 18 horas, através do telefone (73)3222-6428. O atendimento será na UPA da FMT. Serão beneficiadas mulheres com vida sexual ativa a partir de 18 anos de idade, contribuindo com R$ 15,00 e 1 kg de alimento não perecível.
A professora Ana Paula Adry, coordenadora do curso de Biomedicina da Faculdade, explica que “o Projeto ‘Bem Me Quero’, surgiu com o objetivo de atuar na promoção da saúde da mulher. Tem como finalidade o compromisso com as mulheres participantes visando melhor qualidade de vida, a partir da realização do exame de Papanicolau, promovendo o diagnóstico, prevenção e tratamento do câncer de colo de útero, lesões, inflamações vaginais e vaginoses”.
“Mulheres, em especial, que possuem vida sexual ativa devem realizar o exame de Papanicolaou pelo menos uma vez ao ano para detecção de possíveis alterações, aumentando as chances de cura. Desta forma, estamos em busca de novos desafios para que possamos alcançar resultados positivos e maior satisfação da população feminina, visto que o Brasil revela elevada incidência do câncer de colo do útero, correspondendo a 4ª causa de morte no país, chegando a ser o 1º colocado em áreas mais desfavorecidas,” frisa a professora.
Ela acrescenta que “o projeto Bem Me Quero estará acolhendo mulheres com muita responsabilidade e todo cuidado para se sintam seguras e amparadas, a partir da oferta de diagnóstico, orientações e esclarecimentos acerca da saúde da mulher”. A equipe, coordenada pela enfermeira, Renata Couto e pela biomédica Dra. Milena Aleluia, com a participação dos discentes de Enfermagem e Biomedicina Adrielle Acássia, Gilbernildes Bomfim, Girlene Bitencourt, Jaqueline Barreto, Jaqueline Ferreira, Manuela Rodrigues, Maria Clara Barbosa, Marta Caroline, Miquéias Rocha, Sara Leal, Vanessa Santos e Victor Arandiba.

Continue lendo

Semana de combate ao Aedes aegypti mobiliza mais de 210 mil instituições

Semana de combate ao Aedes aegypti mobiliza mais de 210 mil instituições 2

Começa hoje (23) a Semana Nacional de Mobilização dos setores da Educação, Assistência Social e Saúde para o combate ao Aedes aegypti em mais de 210 mil unidades públicas e privadas do país. A ação, promovida pelo governo federal, visa a alertar a população sobre a importância de combater, ainda antes do verão, o mosquito transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. O maior volume de chuvas do período facilita a reprodução do Aedes aegypti.

No total, serão mobilizadas 146.065 escolas da rede básica, 11.103 centros de assistência social e 53.356 unidades de saúde. A articulação é feita pela Sala Nacional de Coordenação e Controle, que reúne os ministérios da Saúde, da Integração, da Defesa, do Desenvolvimento Social e da Educação, a Casa Civil e a Secretaria de Governo da Presidência da República, além de outros órgãos convidados.

Segundo o Ministério da Saúde, estados e municípios têm autonomia para definir quais ações serão realizadas para mobilizar as áreas. Mas a orientação é que sejam promovidas atividades que envolvam a prevenção e o combate ao Aedes, como mutirões de limpeza, distribuição de materiais informativos, realização de rodas de conversa educativas, oficinas, teatros e gincanas.

“Não podemos baixar a vigilância. É melhor cuidar do foco do mosquito do que sofrer as consequências de não ter feito essa iniciativa. Vamos reforçar, ainda mais, a necessidade de eliminar os criadouros, convocando toda a sociedade para esse trabalho já antes do verão, quando começam as chuvas”, disse o ministro da Saúde, Ricardo Barros, em nota. Continue lendo

Cerca de 300 milhões de pessoas no mundo podem ter sido contaminadas pelo vírus da dengue e a maioria delas não sabe

Cerca de 300 milhões de pessoas no mundo podem ter sido contaminadas pelo vírus da dengue e a maioria delas não sabe 3

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que cerca de 396 milhões de pessoas são infectadas pelo vírus da dengue ao redor do mundo por ano. Dessas, apenas 96 milhões apresentam os sintomas da doença e aproximadamente 294 milhões têm dengue assintomática, ou seja, não manifestam os sinais e sintomas e nem chegam a saber que foram infectadas pelo vírus por meio do mosquito Aedes aegypti.

“Essa situação é alarmante, pois há possibilidade do indivíduo infectado pela segunda vez ter mais chance de desenvolver a forma grave da doença, que pode levar ao óbito”, explica a Diretora Médica da Sanofi Pasteur, Sheila Homsani. São quase 300 milhões de pessoas – mais do que toda a população brasileira – que correm maior risco de, em uma infecção secundária, desenvolver dengue grave, sem nem saberem que já foram contaminadas pelo vírus uma primeira vez.

Diferença entre dengue clássica e grave

Segundo a classificação da OMS, a dengue pode ser classificada como: clássica com ou sem sinais de alarme e dengue grave. A doença sem sinais de alarme apresenta sintomas como febre alta (acima de 38º), enjoo, manchas avermelhadas na pele, dor de cabeça e muscular, diminuição de leucócitos no sangue – células de defesa do nosso organismo – e “teste do torniquete positivo”, ou seja, fragilidade dos vasos capilares. Já com sinais de alarme, o paciente manifesta também vômito persistente, dor abdominal, acúmulo de líquidos, edemas (inchaço), sangramento de mucosas e aumento da concentração de células vermelhas no sangue com concomitante queda de plaquetas, o que pode aumentar os sangramentos.

Já o paciente que desenvolve dengue na forma grave, apresenta também sangramento intenso, choque e disfunção de órgãos.
Continue lendo

Hoje (13/10) é Dia Mundial da Trombose

Hoje (13/10) é Dia Mundial da Trombose 4

A trombose é responsável pela morte de uma em cada quatro pessoas no mundo, é o que indicam dados da International Society on Thrombosis and Haemostasis (ISTH). Para ampliar a conscientização sobre esse grave problema de saúde, a ISTH promove uma campanha global de alerta no Dia Mundial da Trombose (13/10) para chamar atenção sobre essa condição que é mortal, mas pode ser evitável. A campanha conta com mais de 1.000 organizações que representam 85 países.

A trombose venosa profunda é uma doença vascular que se caracteriza pela formação de coágulos (trombos) em uma ou mais veias principalmente nos membros inferiores, impedindo que a circulação flua de maneira correta, o que pode causar sensação de queimação, dor e inchaço na região afetada. De acordo com uma pesquisa realizada pela Bayer em 2014, em 20 países nos cinco continentes, apenas 4% dos brasileiros consideram os coágulos sanguíneos como a maior ameaça à vida, sendo que 51% afirmaram desconhecer sobre o risco fatal de uma trombose não tratada.

O alto risco de desenvolver um trombo serve de alerta para a população, especialmente para quem fica longos períodos sem se locomover, fator que pode levar a problemas na coagulação sanguínea. Para quem trabalha sentado por muito tempo, movimentar-se mais é essencial. Atividades simples como levantar para pegar uma água, esticar as pernas, ir até a mesa do colega de trabalho, substituir o elevador pelas escadas e andar por alguns minutos no horário do almoço são pequenos hábitos que ajudam na prevenção contra a trombose. A adesão a essas atividades pode ajudar a prevenir a doença que causa uma morte a cada 37 segundos no Ocidente, segundo aponta a ISTH.

“O paciente deve ter atenção ao ficar longos períodos sem se movimentar e também precisa saber que fatores de risco como histórico familiar, insuficiência cardíaca e obesidade podem representar um alerta para o surgimento da doença. Ter inchaço nas pernas acompanhado de dor pode ser um sinal de trombose. Ela pode vir com a sensação de queimação e mudanças na cor da pele. Embora os sintomas possam indicar o perigo, a maioria dos pacientes não detecta o problema em sua fase inicial, por isso, a recomendação é sempre procurar um médico ao perceber anormalidades”, orienta o Dr. João Carlos de Campos Guerra, hematologista e vice-presidente do Grupo Cooperativo Latino Americano de Hemostasia e Trombose (CLAHT). O especialista complementa ainda que pessoas que já tiveram algum caso na família de pessoas com trombose, devem fazer um acompanhamento médico.

Um outro fator de risco que é pouco falado é a gravidez. Durante o período de gestação, o risco de desenvolver coágulos está aumentado, com risco importante no pós-parto. Por isso, mulheres em fase gestacional devem ter atenção redobrada.

A conscientização sobre os riscos de desenvolver a doença se mostra mais necessária ao constatar que mais de 40% da população brasileira não conhece os sintomas, indica o Ministério da Saúde.
Continue lendo

Ilhéus se vestiu de rosa neste sábado para marcar luta pelo combate ao câncer de mama

Ilhéus se vestiu de rosa neste sábado para marcar luta pelo combate ao câncer de mama 5“Mais do que uma atividade física é um movimento pela saúde da mulher e pela vida”. Assim, a secretária municipal de Saúde, Elizângela Oliveira, definiu a caminhada que contou com a adesão de centenas de pessoas na manhã deste sábado, 7, na avenida Soares Lopes, em Ilhéus.

A concentração ocorreu no estacionamento da praça Dom Eduardo, próximo a Catedral de São Sebastião, onde foi servido um café da manhã. No saudável cardápio, frutas, sucos e água para hidratar os participantes que seguiram até o final da principal via do centro da cidade.

O evento, realizado em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi) Unidade Sul – que pertence ao Sistema da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), ofereceu gratuitamente para os interessados testes de acuidade visual, aplicação de flúor e orientação nutricional, dentre outros serviços. Presente ao evento, o diretor da instituição, Alexandre Régis da Cunha, surpreendeu-se positivamente com o engajamento da comunidade. Continue lendo

ILHÉUS TEVE AUMENTO NO NÚMERO DE PESSOAS MORTAS COM AIDS

ILHÉUS TEVE AUMENTO NO NÚMERO DE PESSOAS MORTAS COM AIDS 6

Ilhéus já notificou em 2017, cinco mortes de pessoas que estavam com Aids. O número é bem superior ao registrado no ano passado, quando a cidade teve apenas um óbito no ano, conforme os dados da Superintendência de Vigilância de Proteção da Saúde. 

Ainda segundo o órgão da Secretaria Estadual de Saúde, este ano a doença já matou 113 pessoas na Bahia, sendo que 49 eram moradores de Salvador. No interior, além de Ilhéus, os municípios com quantidade significativa de óbitos são Teixeira de Freitas (9), Una (03), Santo Antônio de Jesus (7), Jequié (6), Serrinha (6), Juazeiro (5), Itabuna (01) e Irecê (3).

 

 

Núcleo Regional de Saúde realiza a 1ª Conferência Macrorregional de Vigilância á Saúde do Sul da Bahia

Núcleo Regional de Saúde realiza a 1ª Conferência Macrorregional de Vigilância á Saúde do Sul da Bahia 7

O Núcleo Regional de Saúde Sul estará realizando nos dias 04 e 05 de Outubro de 2017, a 1ª Conferência Macrorregional de Vigilância á Saúde do Sul da Bahia, no auditório da UNIME – Campus 2, localizado na Avenida J.S. Pinheiro, em Itabuna.

A Conferência tem como tema central “Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS Público de Qualidade”.

Foram realizadas na Macrorregião de Saúde Sul, que compreende as Microrregiões de Ilhéus, Itabuna, Valença e Jequié, etapas municipais, que elegeram delegados para a Macro Sul, que será etapa para a Conferência Estadual de Vigilância á Saúde que ocorrerá nos dias 6,7,8 e 9 de Novembro em Salvador.

A 1ª Conferência Macrorregional terá inicio no dia 4 de Outubro, ás 14h30min com Solenidade de abertura e Conferência Magna com o tema:

“Politica Nacional de Vigilância em Saúde e o Fortalecimento do SUS como Direito à Proteção e Promoção da Saúde do Povo Brasileiro” que será proferida pela Dra. Maria Aparecida Araújo, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual da Saúde (SESAB).

No dia 5, a programação inicia com Mesa Redonda com os subtemas: Responsabilidade do Estado e dos Governos com Vigilância em Saúde, com a Dra. Ita de Cácia da SUVISA/SESAB; Saberes, Práticas, Processos de Trabalho e Tecnologias na Vigilância em Saúde, com o Dr. Antônio Costa Cardoso da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB); e Vigilância em Saúde Participativa e Democrática para enfrentamento das Iniquidades em Saúde, com a Professora Soraya Santiago, da Universidade Estadual de Santa Cruz(UESC). Continue lendo

Life Saúde
Life Saúde