Perigos Urbanos

CASO ÁGATHA: ATÉ QUANDO?

CASO ÁGATHA: ATÉ QUANDO? 1

No último sábado, dia 21, no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, Ágatha Félix, de 8 anos, foi atingida nas costas por um tiro de fuzil. Ela estava dentro de uma Kombi quando foi baleada. De quem é a culpa? Segundo a polícia, na hora do disparo, as equipes policiais da UPP Fazendinha foram atacadas de várias localidades simultaneamente.

Segundo o depoimento do motorista da Kombi, relatado na Delegacia de Homicídios do Rio e testemunhado pelo advogado da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ Rodrigo Mondego, dois homens sem camisa passavam numa moto quando o condutor da Kombi viu um dos policiais presentes atirando, mas pelo fato de não haver conflito, o motorista pensou que os tiros haviam sido disparados para o alto, somente quando ouviu a mãe de Ágatha gritar ele correu para ajudar a menina. Os policiais ficaram sem reação e não prestaram socorro, afirmou Mondego. A kombi saiu em disparada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima. Foi lá que outros dois policiais, que nada tinham a ver com o caso, levaram Ágatha em uma viatura para o Hospital Getúlio Vargas, onde ela veio a óbito na madrugada de sábado 21.

No depoimento à Polícia, o motorista da Kombi disse que não viu armas nas mãos dos homens que passavam numa moto. Caso fossem mortos pelos disparos da polícia esse ato se tornaria uma execução, pois não houve conflito, afirmou no depoimento. A versão oficial da polícia é a de que Ágatha foi morta numa troca de tiros entre policiais e criminosos. Quem disse a verdade? Continue lendo

ITABUNA: Após desabamentos, perícia aponta necessidade de demolição de prédio que abrigaria shopping

ITABUNA: Após desabamentos, perícia aponta necessidade de demolição de prédio que abrigaria shopping 6

Parte de obra inacabada de shopping popular desabou pela segunda vez em menos de dois anos em Itabuna — Foto: Raphael Marques/TV Santa Cruz

Uma perícia realizada no prédio em construção que abrigaria um shopping popular, na cidade de Itabuna, aponta a necessidade de demolição do imóvel, após a estrutura ter dois desabamentos em menos de dois anos. A informação foi divulgada pela Justiça na tarde de quinta-feira (27).

De acordo com o juiz Ulisses Mainard Salgado, da Vara da Fazenda Publica de Itabuna, que é responsável pelo caso, o laudo aponta vários problemas no prédio, incluindo falhas na estrutura da laje e no posicionamento das vigas, que podem causar novos desabamentos.

Conforme o juiz, as partes envolvidas no caso — Prefeitura de Itabuna, construtora, Ministério Público da Bahia (MP-BA) e camelôs que trabalhariam no local — serão intimadas para se posicionar. O grupo terá 15 dias para dar resposta. Em seguida, o juiz decidirá o destino do prédio. Continue lendo

Pesquisa aponta que Marina perdeu força nas intenções de voto entre evangélicos

Pesquisa aponta que Marina perdeu força nas intenções de voto entre evangélicos 7

Foto: Reprodução/Facebook

A candidata ao Planalto Marina Silva (Rede), única candidata evangélica na disputa presidencial em 2018, perdeu parte das intenções de votos dos eleitores da mesma religião que ela em comparação com as eleições de 2014. De acordo com o Estadão, atualmente Marina tem entre os evangélicos apenas 12% das intenções de voto, porcentual igual ao obtido entre os católicos ou seguidores de outras religiões, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo.

Quando disputou a Presidência em 2014, as intenções de voto em Marina Silva entre evangélicos era de cerca de 43%, 12 pontos porcentuais a mais do que a taxa registrada entre os católicos. Se ela não tivesse perdido apoio entre os fiéis de sua religião, poderia liderar a corrida presidencial deste ano. No cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a candidata do Rede tem 12% das preferências no eleitorado total. Ela está oito pontos porcentuais atrás de Jair Bolsonaro, do PSL. Continue lendo