O presidente da OAB Subseção de Ilhéus, Dr. Jacson Cupertino, expressou sua indignação diante da possibilidade de reversão na decisão do Tribunal Regional do Trabalho – TRT-BA – de transferir a 3ª Vara do Trabalho de Ilhéus para a Comarca de Camaçari. Segundo ele, as justificativas apresentadas pelo presidente do TRT5, desembargador Jéferson Muricy, durante uma reunião com seus colegas, não condizem com a realidade acordada recentemente.

Cupertino ressaltou que a 3ª Vara do Trabalho em Ilhéus está sem juiz titular desde a remoção da juíza, Dra. Mônica Sapucaia, meses atrás. Ele enfatizou que a avaliação da viabilidade da Vara em meio a esse cenário não reflete a atual situação da advocacia trabalhista na região. Para ele, sacrificar uma Comarca em pleno desenvolvimento para atender outra que já possui quatro Varas não é razoável.

O presidente da OAB de Ilhéus destacou o crescimento significativo da região, com a iminente entrada em operação do Porto Sul, o boom imobiliário, o valorização do cacau e os investimentos do Estado em infraestrutura. Diante disso, ele afirmou que buscará apoio em todas as esferas de poder para sensibilizar o presidente do TRT5 sobre a importância de manter a Vara do Trabalho em Ilhéus. Propôs medidas alternativas, como o redirecionamento de processos de outras Comarcas e a designação temporária de juízes locais para atuar em outras Varas.

Cupertino enfatizou a determinação da OAB de Ilhéus em defender a manutenção da 3ª Vara do Trabalho na cidade, ressaltando que não aceitarão o desmonte dessa conquista. Ele mencionou mobilizações anteriores e reafirmou o compromisso de retomar o movimento em prol da permanência da Vara em Ilhéus.

Informações do Blog Agravo

::Publicidade
Compartilhar Post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *