Nesta quarta-feira (30), a Prefeitura de Ilhéus se junta ao movimento municipalista, organizado pela União dos Municípios da Bahia (UPB) e Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste (AMURC) e paralisa as suas atividades administrativas, a fim de chamar a atenção quanto às dificuldades financeiras dos municípios, devido às oscilações nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e previsão de queda das receitas neste mês.

Conforme a Prefeitura, todas as atividades administrativas serão paralisadas, com exceção das secretarias da Educação, Saúde, Serviços Urbanos, Interior e Fazenda, que manterão suas rotinas inalteradas.

Segundo o presidente da UPB, prefeito Quinho, de Belo Campo, “nós precisamos de imediato de um recurso injetado nos municípios para que possamos fazer com que os nossos munícipes vivam melhor e que nós consigamos manter os empregos já existentes”, falou o gestor, em entrevista coletiva divulgada no site da associação.

Ainda, de acordo com Quinho, a ideia seria lutar por uma injeção de recursos nos municípios em caráter emergencial, feito através do Apoio Financeiro aos Municípios (AFM).  

“Basta o governo federal se disponibilizar e ter interesse em ajudar os municípios. Senão alguns serviços vão parar, municípios terão dificuldades com a folha de pagamento, o que infelizmente vai trazer muitos transtornos não só para o setor público mas também privado”, completa.

::Publicidade
Compartilhar Post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *