Foto: Divulgação/PM-BA

O Juiz da Vara Júri e Execuções Penais de Ilhéus, Gustavo Henrique Almeida Lyra, manteve a prisão preventiva de Kelly Mendes Barreto, de 26 anos, acusada de envenenar e matar marido e dois filhos, em sua própria residência em Ilhéus. 

De acordo com a decisão do magistrado, a manutenção da prisão da acusada é recente, decretada em 19.06.2023; ela não está gestante, nem é responsável por crianças ou pessoas com deficiência, tendo em vista que seus únicos filhos foram vítimas dos crimes apurados pela justiça. 

Aproveitou a oportunidade para reavaliar a situação, diligência que é sempre salutar, entendo persistentes os fundamentos que lastrearam a decisão, que se assentou na necessidade de assegurar a aplicação da lei penal, tendo em vista que a acusada fugiu do local da prática do delito, deixando, inclusive, de prestar socorro aos filhos pelo temor de ser presa, segundo consta nos autos investigativos, e na garantia da ordem pública, para impedir o envolvimento da ré em novas ocorrências policias, informou o magistrado na decisão.

Assim, manteve a prisão da acusada, por considerar inalterado o panorama que ensejou a decretação da custódia.

De acordo com a polícia, a suspeita, identificada com Kelly Mendes Barreto, contou na audiência de custódia que colocou veneno no prato de comida do marido porque era agredida por ele constantemente, e que, por engano, os filhos comeram do mesmo prato.

O marido da suspeita foi identificado como Marcos Paulo Mendes Santos, de 23 anos; o filho mais velho como Benjamyn Kleyton Mendes Barreto Santos, de quatro anos; e a caçula como Rosymary Mendes Barreto Santos, de um ano e sete meses. Os três morreram no local.

Veja aqui a decisão do magistrado

::Publicidade
Compartilhar Post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *