Foto: Paulo Marques

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (Seades) realizou nesta terça-feira (25), no teatro da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em Salvador, orientação técnica e assessoramento sobre o Questionário de Implantação do SUAS Bahia Mais Rural, direcionada para municípios com maior percentual de pessoas que residem nas comunidades da zona rural.

A atividade reuniu técnicos de referência do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), coordenadores dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e técnicos da gestão do SUAS, de 114 municípios baianos, que foram contemplados com o SUAS Bahia Mais Rural.

Estiveram presentes a superintendente de Assistência Social, Leísa Sousa, o gestor do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS), Lucas Duarte, o coordenador da Proteção Social Básica, Jadson Levi, a técnica de referência do PAIF, Rosa Nonato, e a gerente de extensão da UNEB, Rosana Rodrigues. A ação contou com a apresentação musical do samba de roda Vida e Tradição, do Recôncavo baiano.

Sobre o Bahia Mais Rural

A iniciativa do Governo do Estado, relacionada ao programa Acelera SUAS, prevê o aprimoramento da gestão do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), das ações de proteção aos públicos mais vulneráveis e o fortalecimento do cofinanciamento nesta área, cuja previsão de investimento em 2023 está na ordem de R$ 3,1 milhões.

O objetivo do SUAS Bahia Mais Rural é ampliar a cobertura da oferta de Proteção Social através do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) na zona rural, priorizando o atendimento às famílias em situação de pobreza e extrema pobreza. O Programa atua junto a famílias inscritas no CadÚnico, da agricultura familiar e integrantes de comunidades e povos tradicionais, a exemplo de quilombolas.

A superintendente de Assistência Social da Seades, Leísa Sousa, explica que o repasse financeiro possibilita o deslocamento dos serviços da proteção social básica, fornecidos nos CRAS dos municípios, até as localidades. “Como as comunidades rurais são distantes das sedes, com dificuldade de acesso, a iniciativa contribui para que as pessoas possam ser atendidas pelos benefícios dos programas e projetos, ampliando a capacidade de proteção da política de Assistência Social e garantindo o acesso a bens, serviços e direitos da população em situação de vulnerabilidade social”, ressaltou.

De acordo com o coordenador da Vigilância Socioassistencial do município de Casa Nova, Misael Neto, o objetivo é conseguir alcançar as famílias dentro do município com dificuldade de acesso. “Precisamos levar o SUAS até as comunidades mais isoladas, que muitas vezes não estão inscritas no Cadastro Único. O programa vem para potencializar a proteção social básica e alcançar as famílias, garantindo que elas sejam beneficiadas”, explicou.

Para a técnica de gestão do SUAS de Nilo Peçanha, Nívea Barros, as ações farão a diferença na gestão das políticas socioassistenciais no município. “O programa veio dar um plus no trabalho com as comunidades rurais. O recurso ajudou muito a levar os serviços dos CRAS para as pessoas nas comunidades mais distantes. Vamos potencializar ainda mais nossas ações em todo o território”, pontuou.

Fonte: Ascom Seades

::Publicidade
Compartilhar Post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *