O Juiz substituto da Vara Júri e Execuções Penais de Ilhéus, Guilherme Vieito Barros Júnior, revogou a prisão preventiva do empresário Orlando Teixeira do Carmo, suspeito de atear fogo em um homem em situação de rua na cidade de Ilhéus.

Na decisão, o juiz atendeu o pedido da defesa que apresentou relatório médico diagnosticando-o com condição cardíaca debilitada, com alto risco de morte súbita com programação de consulta com um arritmologista para programar implante de cardodesfibrilador implantável.

Ainda o magistrado entendeu que o paciente possui 54 anos de idade, o que de certa forma acentua seu problema de saúde e de outro lado, é reconheceu que o presídio local não possui atendimento médico adequado para a peculiar situação.

Orlando é suspeito de atear fogo em um morador de rua em 25 de janeiro deste ano. De acordo com a Polícia Civil de Ilhéus, as investigações apontam que o crime foi por motivo fútil, com requintes de crueldade, mediante uso de fogo e sem qualquer chance de defesa da vítima, que dormia no momento da ação. Rodrigo Souza Santana, de 44 anos, foi queimado porque teria roubado uma peça de caminhão do estabelecimento do suspeito.

As imagens das câmeras de segurança mostram quando, por volta das 6h40 do dia 25 de janeiro, o suspeito chega de carro, com um galão na mão, e entra em um galpão abandonado de uma antiga concessionária, na Avenida Itabuna. Segundo a polícia, havia material inflamável dentro do galão e a suspeita é de que o combustível usado foi gasolina.

Em seguida, as imagens já mostram a vítima saindo correndo do galpão, com o corpo em chamas. Rodrigo Souza foi socorrido para o Hospital Regional Costa do Cacau, em Ilhéus, mas precisou ser transferido para o Hospital Geral do Estado, em Salvador. No entanto, no dia 2 de fevereiro, o homem não resistiu as sequelas das queimaduras.

Clique aqui e veja a decisão 

::Publicidade
Compartilhar Post:

2 thoughts on “COM ALTO RISCO DE MORTE SÚBITA, JUSTIÇA CONCEDE PRISÃO DOMICILIAR A EMPRESÁRIO SUSPEITO DE ATEAR FOGO EM HOMEM EM SITUAÇÃO DE RUA EM ILHÉUS

  1. Esse mesmo criminoso, alardeava nos 4 cantos da cidade que: “bandido bom era bandido morto!”. Então, Orlando ateou fogo em um cidadão; Cometeu um homicídio; Homicídio é crime; Logo Orlando é bandido. Se Orlando é defende que bandido bom é bandido morto!; Por que o estado tem que defender Orlando, “criminoso” bandido auto-declarado, defensor e carrasco da pena capital, crime que atenta contra a Carta Magna da nação, tem que ser protegido dele mesmo, pelo estado, que não conseguiu proteger um cidadão de bem, colocado em estado de vulnerabilidade e vítima do próprio estado? Hoje podemos infelizmente afirmar que para os Orlandos, “lelés” defensores e carrascos da pena capital, que violam todos os preceitos e leis que garantem a vida, existe um Guilherme Tel que se materializa na vida real de um Brasil tupiniquim, onde a justiça tem olhos e enxerga os direitos dos privilegiados.

  2. Como a justiça trabalha em favor de rico. Quantos pobres e pretos estão presos por serem”suspeitos”… Mas para empresário prisão domiciliar por risco de morte súbita! A piada do dia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *