Canavieiras: Mulher deixa o país e abre suspeita em caso de morte de gerente

A saída do país de uma das sócias de uma pousada em Canavieiras, coloca suspeitas sobre a investigação que apura a morte de Bruno Lino de Andrade Loureiro, que era gerente do espaço. Corina, como a mulher é conhecida, viajou para a Alemanha, país que tem nacionalidade, no sábado (15). Segundo informou nesta quarta-feira (19) ao Bahia Notícias o delegado Renato Fernandes, que investiga o caso, a mulher teria que estar à disposição no Brasil para novos depoimentos.

“É estranho [a viagem] na medida em que o passaporte dela ficou retido aqui e ela sem avisar as autoridades saiu do país através de um visto provisório ou autorização especial de viagem conseguida a principio pelo consulado, o que chamou bastante à atenção”, disse ao BN. Corina tinha aberto a pousada há dois anos junto com um alemão com quem era casado. Foi na época em que o casal contratou Bruno Loureiro para a gerência do espaço. No entanto, desde o meio do ano passado, o casal se divorciou.

À época, a mulher já se relacionava com Erionaldo da Cruz dos Santos, preso no dia 8 de fevereiro acusado por envolvimento no homicídio, dois dias depois de o gerente ser encontrado morto. O crime também ocorreu dias depois de o empresário alemão ter ido a Canavieiras e transferido a gestão financeira da pousada para Bruno Loureiro. Nesta segunda-feira (18), outro acusado no homicídio foi preso: Jailson da Cruz.

Os dois acusados tiveram a prisão temporária decretada e estão detidos nos presídios de Ilhéus e Itabuna, na mesma região. Cobrando justiça ao caso, familiares e amigos de Bruno Loureiro fizeram uma manifestação pelas ruas da cidade. A Delegacia de Canavieiras continua na apuração do caso.

Informações do BN

Link permanente para este artigo: https://www.ilheus.net/2020/02/canavieiras-mulher-deixa-o-pais-e-abre-suspeita-em-caso-de-morte-de-gerente.html

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.