Vídeo mostra infestação de pombos dentro de refeitório de escola em Itabuna

Vídeo mostra infestação de pombos dentro de refeitório de escola em Itabuna 1

Uma infestação de pombos dentro do refeitório do Centro Integrado de Educação, da cidade de Itabuna, no sul da Bahia, tem preocupado alunos e professores da instituição. Os jovens reclamam que os animais sobrevoam o local e fazem fezes nas mesas. 

Segundo a aluna Laura Pizzi, a presença dos pombos gera um desconforto para os estudantes.

“Eles [pombos] fazem fezes nas mesas e nos bancos e a gente, às vezes, senta e não ver. Ontem uma aluna levantou para beber água, deixou o prato em cima da mesa e quando foi ver o pombo tava comendo a comida dela. É uma situação bem chata que a gente vem vivenciando”, disse Laura.

Os alunos da instituição estão preocupados com o incômodo provocado pela presença dos pombos. As fezes dos animais tem fungos que podem provocar doenças na pele e nos sistema respiratório.

“Já aconteceu casos de pombos defecarem nos pratos dos alunos. Uma situação devastadora e que é desagradável para a gente”, contou Laura.

De acordo com o vice-diretor da escola, Sindcley Oliveira, os funcionários da instituição limpam o refeitório três vezes durante o horário do almoço e orientam os alunos para não deixar alimentos espalhados pelo local.

“Todos os dias é feita a limpeza, de um tempo para cá a gente já está fazendo isso duas, três vezes durante o almoço para que a gente evite essa questão dos pombos, mas a gente precisa conscientizar os alunos para que não deixem comida espalhada no refeitório”, explicou Sindcley Oliveira.

Em nota, a Secretaria de Educação do Estado informou que a direção da escola acionou o Centro Municipal de Controle de Zoonose, e um veterinário do órgão esteve no local na manhã desta sexta-feira (11) para explicar que a comida deixada pelos alunos no espaço pode ser a causa da infestação dos pombos.

O profissional também verificou o telhado do local e vai fazer a retirada dos ninhos existentes na estrutura. Assista clicando aqui.

(G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *