Bruno Alcântara, o Ilheense do ‘RuPaul Drag´s Race’, conta como foi trabalhar com Madonna

Bruno Alcântara, o Ilheense do 'RuPaul Drag´s Race', conta como foi trabalhar com Madonna 1

Para quem acompanha o reality RuPaul Drag´s Race, um fenômeno da televisão, já reparou no bonitão sarado, de sorriso largo e olhos claros do pit crew do programa, óbvio. Ele, inclusive, é brasileiro e se chama Bruno Alcântara. 

Assistente de palco do reality, Bruno, que é baiano, nascido em Ilhéus, está há cinco anos em Los Angeles e já trabalhou não só com RuPaul, a drag queen mais famosa do mundo, mas também com a rainha do pop, Madonna.

CONVÍVIO COM MADONNA

“A oportunidade de trabalhar com Madonna surgiu de um amigo, que trabalhava com ela fazia tempo. Eu tinha mudado pra Los Angeles há um ano, trabalhava com eventos no Brasil (SPFW e Fashion Rio). Madonna estava indo na turnê Rebel Heart [que durou de setembro de 2015 a março de 2016], surgiu oportunidade de eu trabalhar de coordenador de camarim”, contou Bruno à QUEM.

“Só a possibilidade de trabalhar com Madonna já me deixava estremecido. É uma oportunidade gigantesca, sonho de muitos americanos, inclusive, conseguir trabalhar com uma artista tão respeitada no mundo da música. Para mim foi um prazer gigantesco, eu era o único brasileiro na turnê e foi bem interessante acompanhar a rotina dela de perto, ver como ela trabalha duro pra entregar um show bonito, à altura do que os fãs dela esperam dela”, ainda disse ele, que também já trabalhou com o rapper Diddy.

“Com o contato com artistas que acreditavam em seus sonhos, que tiveram coragem, eu achei que devia tentar também. Sonhei alto, às vezes pensava que não conseguiria terminar o programa, mas as pessoas me deram muito suporte. Acho que a gente tem que tentar. Eu não queria olhar minha vida depois e pensar: ‘nossa, nunca tentei’”, explicou Bruno, que ficou impressionado com a dedicação da musa pop.

“Durante a turnê inteira ela fazia ensaios, passava músicas, fazia exercícios antes do show. Ela é bem aplicada durante toda a turnê, que foi bem grande, uns 7, 8 meses, e a gente ficou bem mais próximos. Eu era responsável pelo camarim dela. A gente se via muitas vezes e tive oportunidade de frequentar festas privadas após o show”, relembra ele, que ainda falou da emoção de dividir o palco com Madonna, tanto nos ensaios como em uma ocasião especial.

“Tinha essa parte do show que ela convidava um dos fãs, ou um dos famosos, para subir ao palco para cantar Unapologetic Bitch e eu costumava fazer o convidado durante os ensaios, o que pra mim já era uma honra, dançar com ela nos ensaios. O que eu não esperava era ser um dos convidados de um show real, em Amsterdã, quando a gerente dela disse que eu seria o convidado. E foi a pedido dela! Fiquei supernervoso, e senti a energia de todas as pessoas ali no palco com ela.”

Mas nem tudo foram flores durante aquele período. “Turnê longa, muitas coisas inesperadas acontecem. Teve um dia que teve um acidente no camarim: uma vela caiu e começou a incendiar as coisas. A gente teve que correr super rápido pra resolver. Foi super inesperado.”

 
“RUPAUL É UM ÍCONE”

Bruno Alcântara, o Ilheense do 'RuPaul Drag´s Race', conta como foi trabalhar com Madonna 2

A oportunidade para trabalhar em RuPaul surgiu de forma semelhante à turnê de Madonna. “Surgiu de um amigo, que tinha contato de produtores do show. Eles ficam selecionando meninos pro pit crew e a ideia é que eu fosse participar de um ou dois. Não esperavam que eu fosse ficar mais. Eu estava empolgado, ansioso por aparecer de cueca na televisão [risos], mas fico feliz que deu certo. Já gravei duas temporadas e tenho contrato pra mais”, comemora Bruno, que é só elogios com relação ao “patrão”. 

“RuPaul é um símbolo na comunidade gay, um ícone! Estou muito feliz de estar em um show que entretém, que apoia a comunidade LGBTQ. E RuPaul é sempre inspirador, sempre com mensagens de amor e clima amigável e gostoso nas gravações”, revela o bonitão.

Bruno Alcântara, o Ilheense do 'RuPaul Drag´s Race', conta como foi trabalhar com Madonna 3

“Sou muito grato por tudo o que aconteceu na minha vida. Venho de uma família humilde, uma cidade pequena, e por muito tempo achei que nada iria mudar na minha vida. Estou superfeliz com este momento na minha vida e tem muito mais pra vir por aí!”

 Informações da Revista Quem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *