Sarampo: número sobe para 10 mortes e 1,6 mil casos no país

O número de mortes e de casos de sarampo subiu no país na última semana. Segundo o boletim do Ministério da Saúde divulgado na terça-feira (25), há 10 mortes e 1.766 casos confirmados da doença. Além disso, 7.962 casos permanecem em investigação.

Amazonas e Roraima ainda registram surto da doença. No Amazonas, há 1.367 casos confirmados e 7.863 suspeitos e, em Roraima, 325 confirmados e 99 estão em investigação.

A maioria das mortes foi registrada nesses Estados. Entre os 10 óbitos, 4 óbitos foi em Roraima, sendo 3 estrangeiros e 1 brasileiro, 4 no Amazonas, todos brasileiros, sendo 2 da cidade de Manaus e 2 de Autazes, e 2 no Pará.

Casos confirmados de sarampo foram registrados em outros Estados, mas são considerados isolados: em São Paulo, subiram para três, no Rio de Janeiro permanecem 18, no Rio Grande do Sul subiram de 24 para 29, em Rondônia, se mantiveram em 2, Pernambuco, em 4, e em Sergipe, 4. No Pará, de 13 foi para 14. 

O Ministério da Saúde ressalta que os surtos em Roraima e no Amazonas estão relacionados à importação do vírus da Venezuela, pois o genótipo do vírus (D8) que está circulando no Brasil é o mesmo que circula no país vizinho, que enfrenta surto da doença desde o ano passado.

Depois de três semanas após o término da campanha de vacinação contra sarampo e a poliomielite, o país alcançou a meta proposta pelo Ministério da Saúde de vacinar 95% do público-alvo, que engloba crianças entre 1 e 4 anos.

O balanço do governo divulgado no dia 17 de setembro demonstrou que a cobertura vacinal para sarampo foi de 95,3% e, para poliomielite, de 95,4%.

Mais de 4,4 mil cidades atingiram a meta, segundo o Ministério. Quinze Estados alcançaram a meta para as duas vacinas. Outros dois, São Paulo e Tocantins, conseguiram o índice na vacinação de pólio, informou o R7.

Link permanente para este artigo: https://www.ilheus.net/2018/09/sarampo-numero-sobe-para-10-mortes-e-16-mil-casos-no-pais.html

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.