Os dois velejadores baianos Daniel Guerra, 36 anos, e Rodrigo Dantas, 25 anos, detidos em agosto de 2017 por transportar mais de uma tonelada de cocaína em Cabo Verde, devem ser julgados no fim do mês. É o que acredita a família. Eles saíram de Salvador contratados para levar o veleiro Rich Harvest para Portugal, quando foram surpreendidos em uma fiscalização. Os parentes alegam que os velejadores não sabiam da existência do entorpecente encontrado no fundo do casco da embarcação e que os baianos foram vítimas de uma rede internacional de tráfico de drogas. A quantidade de cocaína foi avaliada em R$ 800 milhões.

Por acreditar na inocência deles, as famílias lançaram, no final de 2017, uma campanha para coletar assinaturas e conseguir apoio para a libertação dos jovens. “Estamos vivendo um pesadelo. Está todo mundo muito triste”, conta o tio de Rodrigo Dantas, Alex Coelho, ao Portal A Tarde. “Não é só a prisão. Imaginamos como eles vão ficar depois de tudo isso. É um marco na vida de um jovem que estava entusiasmado para se profissionalizar”, completa. Ainda segundo Coelho, a mãe de Rodrigo Dantas viajou para a Ilha de Mindelo, em Cabo Verde, para acompanhar as investigações de perto.

O Ministério das Relações Exteriores informou que acompanha o caso e tem prestado assistência não só aos brasileiros como também às famílias. A Embaixada do Brasil em Praia, Cabo Verde, ainda segundo o ministério, está em contato com as autoridades locais. A assessoria do órgão, no entanto, informou que “em função da Lei de Acesso à Informação e em respeito à privacidade dos nacionais, esta assessoria não está autorizada a prestar informações pessoais sobre o caso”. As informações são do A Tarde Online.

::Publicidade
Compartilhar Post:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *