Humor : Um resumo da situação política no Brasil

A fanpage Linha de Frente Audiovisual editou 65 reportagens exibidas na Globo e Globo News entre os dias 01 e 16 de março… Ficando um belo resumo da politica brasileira atual…



Opinião do blog; afirmamos que não possuímos qualquer interesse sobre o que é noticia boa ou ruim, apenas noticiamos o que acontece e o que nossos leitores gostam de ler, e quanto a nossa independência todos viram em matéria publicada anteriormente no nosso Blog.

Não vamos nunca aqui defender ideias pessoais e nossos editores tem total consciência e respeito as normas do site ilheus.net.

Att: P. Pereira

Terra Nossa Resort

Terra Nossa Resort - ilheus

Terra Nossa Resort, um lugar para sonhar, relaxar e abrir a sua mente. O Terra Nossa Resort, está situado entre Ilhéus e Itacaré, em uma bela praia que possui uma extensa linha costeira de 50 km.Você já sonhou com um lugar maravilhoso em uma praia deserta? Uma zona livre ao estilo caribenho direitamente, onde as ondas quebram?

Terra Nossa Resort oferece uma recepção 24 horas, além de praia privativa, check-in/check-out expresso e aluguel de bicicleta. Para sua maior conveniência, possui massagem, salas de reuniões e serviço de babá. Como alternativa os funcionários multilíngues estão disponíveis para oferecer dicas locais garantindo uma estadia agradável em Ilhéus. 

Os quartos da guest house são bem equipados e tem tudo que há de essencial como closets, mosquiteiro e ventilador de teto. Todos oferecem um banheiro privativo com chuveiro. 
Hóspedes podem começar o dia com um café da manhã cada manhã no Terra Nossa Resort. Refeições podem serem aproveitadas no terraço aberto do restaurante.

Reação nas ruas não melhoram situação do governo

Após uma semana conturbada para o governo federal, dezenas milhares de pessoas foram às ruas ontem (18) para se manifestar contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Nas redes sociais, o movimento também ganhou destaque e a hashtag #VemPraDemocracia ocupou ao longo do dia o primeiro lugar entre os trending topics, que são os assuntos mais comentados no Twitter.
Especialistas avaliam que os atos mostraram uma reação aos protestos anti-Dilma promovidos no último domingo (13), mas ainda não são suficientes para garantir tranquilidade ao governo.
Para o professor de ciência política da Universidade de Brasília (UnB) Luis Felipe Miguel, as manifestações preencheram as expectativas do governo e mostraram que ainda há capacidade de mobilização. “Até o momento, como as outras tentativas de colocar gente na rua contra o impeachment tinham sido frustradas, dava a ideia que o Brasil era a favor do impeachment ou neutro. Agora deu para notar que é diferente”, avaliou, em entrevista à Agência Brasil.

Segundo Miguel, o fato de as manifestações anti impeachment terem sido menores do que os atos contra o governo do último domingo não é relevante. “As manifestações de domingo foram amplamente divulgadas pelos grandes meios de comunicação, havia grandes interesses empresariais. As de ontem não contaram com essa ajuda”, comparou. “Se fosse para fazer esse tipo de contagem, a correta seria a eleição.”
Diferente de Collor
O cientista político Waldir Pucci, coordenador do curso de Direito do Centro Universitário do Distrito Federal, diz que as manifestações mostram que Dilma ainda tem apoio. “É diferente da situação de Fernando Collor, havia uma unanimidade pela saída do ex-presidente. Tem uma parcela da sociedade que apoia sim Dilma”.
No entanto, segundo Pucci, a parcela da sociedade que foi às ruas nessa sexta-feira contra o impeachment influencia a situação política atual, mas não consegue fortalecer o governo. Ele cita a manifestação em São Paulo, que reuniu 80 mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar.
“Não podemos negar que em São Paulo há uma participação grande, mas, ainda assim, inferior a da manifestação de domingo [a favor do impeachment]. Isso vai ter peso político mas não consegue ainda fortalecer novamente o governo, que está fragilizado”, analisou. “Os atos não trouxeram nada de novo ao cenário político.”
Menor que o necessário
Para o cientista político Márcio Coimbra, coordenador do MBA Relações Institucionais do Ibmec no Distrito Federal, “a mobilização foi menor do que o que o governo precisava”.
Coimbra destaca que circularam na internet fotos de manifestantes chegando em ônibus e de organizadores distribuindo lanches. “Isso enfraquece o valor popular do evento”, avaliou. Segundo ele, as manifestações de ontem foram diferentes, por exemplo, dos protestos espontâneos contra o governo que ocorreram na quarta-feira (16), após a indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil. “Parece que as pessoas foram para rua por causa de incentivos”, disse.
As manifestações dessa sexta-feira, segundo a doutora em ciências sociais e professora da Faculdade de Direito da UnB Ana Claudia Farranha, mostram que não tem “jogo ganho por nenhum lado”. Ela ressaltou que os atos não se tratam propriamente de uma manifestação pró-governo, mas que mostram que há um incômodo na sociedade sobre a condução de alguns casos.
“Se há indignação com a corrupção, há indignação com procedimentos que não levam à democracia. A não explicação das escutas telefônicas, a forma como o processo de impeachment está sendo julgado, com vários deputados [da comissão] que são réus. A nossa democracia não é jogo ganho, é um jogo a ser jogado.”
Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil Edição: Luana Lourenço

Corrupção enraizada: desde quando Cabral aqui chegou e semeou sua semente “É Ladrão Que Não Acaba Mais”

O último recurso que os bandidos encontraram nesta grande nação da luz foi ser político para fazer da política o mecanismo de fugir da punição e assim implantando a corrupção neste país que plantando de tudo dá em abundância, sejam as boas sementes ou más e a política foi germinada na sua maioria pelas más sementes que estão nos três poderes da nação o executivo, legislativo e judiciário.
E nós brasileiros que temos vergonha nos envergonhamos com nossas instituições o legislativo, executivo e judiciário. Pois o congresso nacional e o senado federal que na sua grande maioria é composto por bandidos travestidos de políticos e ficam criando leis para seu benefício e que tem o judiciário para ficar submetido ao poder desses bandidos que são neste país senadores e deputados federais que nada querem com a pátria amada a não ser enriquecer ilicitamente e beneficiar o crime organizado. (texto CLAUDIO O FENIX RACIONAL Sampaio)

OAB declara apoio ao impeachment da presidente Dilma

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) vai apoiar o impeachment da presidente Dilma Rousseff.
A decisão foi tomada nesta sexta (18) pelo conselho federal da entidade e apoiada por 26 bancadas. A bancada do Pará e o ex-presidente da OAB Marcelo Lavenere, membro honorário vitalício, foram os dois votos contrários.
Agora, a diretoria da OAB vai avaliar se apresenta um novo pedido de impeachment ao Congresso, se apoia o que está em análise na Câmara ou as duas opções.
O presidente da OAB, Claudio Lamachia, disse que a decisão foi técnica, tomada a partir de provas recolhidas, mas que não deve ser comemorada porque a entidade preferia que o governo estivesse apresentando bons resultados à sociedade.
No relatório aprovado, o advogado Erick Venâncio afirma que Dilma cometeu crime de responsabilidade em três situações: suposta interferência na Operação Lava Jato —como apontou a delação do senador Delcídio do Amaral (PT-MS)—, pelas pedalas fiscais (atrasos nos repasses feitos pelo Tesouro aos bancos públicos para cobrir despesas) e renúncia fiscal concedida para a realização da Copa de 2014.

A nomeação do ex-presidente Lula, também investigado na Lava Jato, foi considerada uma “ingerência” da Presidência, por indicar que houve tentativa de levar as apurações do petista para o Supremo Tribunal Federal.

PPS/ Folha de S. Paulo

Salvador: Passeata pela Democracia reuniu 70 mil pessoas

Terminou por volta das 19h30 a Passeata pela Democracia em Salvador. O ato começou no início da tarde de hoje (18), no Campo Grande, área central da cidade, e seguiu até a Praça Castro Alves. Segundo a Polícia Militar, que acompanhou o movimento, cerca de 70 mil pessoas participaram da manifestação contária ao impeachment e ao juiz Sérgio Moro e “a favor da democracia”.
Estudantes, representantes de movimentos sociais e centrais sindicais foram acompanhados por um trio elétrico levando bandeiras do Brasil e da Central Única dos Trabalhadores (CUT), organizadora do ato. Frases como “Não vai ter golpe” foram entoadas entre os manifestantes, que carregavam bandeiras, cartazes e faixas em apoio ao governo da presidenta Dilma.
A manifestação reuniu militantes, estudantes e representantes de centrais sindicais e movimentos sociais de várias cidades do interior da Bahia.
“Hoje é dia de festa para a democracia, porque a população brasileira quer defender o país e quer que continue a distribuição de renda e a inclusão social. As pessoas vieram dizer sim à democracia e não ao golpe. São homens, mulheres, trabalhadores e trabalhadoras,  jovens e crianças dizendo não ao golpe”, informou o presidente da CUT na Bahia, Cedro Silva, pouco antes do início da passeata.

Durante o percurso, na Avenida Sete de Setembro, estudantes e integrantes da Frente Popular da Juventude realizaram um jogral, encerrado com a frase “Dizemos não ao golpe e seguiremos em marcha”.
Edição: Armando Cardoso

Ato contra impeachment vira show pela democracia no Rio de Janeiro

Milhares de pessoas lotaram hoje (18) à a Praça 15, no centro do Rio de Janeiro, no início da noite de hoje (18), onde vários artistas se revezaram no palco do evento Canto da Democracia – Ato Festival por mais direitos. A Polícia Militar do Rio de Janeiro não divulgou estimativa de público, mas a praça ficou completamente cheia, com público equiparado a blocos de carnaval que ocorrem no local, como o Boitatá.
Segundo os organizadores, o Centro de Operações da prefeitura estimou em 70 mil o número de pessoas presentes ao ato. A multidão gritava frases como “Não vai ter golpe”, “O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo”, “Lula, ministro da esperança” e “Olê olê olê olá, Lula, Lula”.
Entre os artistas, se apresentaram Geraldo Azevedo, Otto e Teresa Cristina, que emocionou o público cantando, com o público, O bêbado e a equilibrista, de João Bosco e Aldir Blanc, e O Canto das três raças, de Clara Nunes. Também discursaram sindicalistas, políticos, lideranças de movimentos sociais, jovens, estudantes e os atores Letícia Sabatela e Osmar Prado.
O clima foi de tranquilidade e festa. Muitas pessoas vestiram vermelho e algumas carregavam bandeiras do Brasil, inclusive uma costurada sobre outra vermelha. Nos adesivos e faixas, dizeres com Abaixo o golpe, impeachment não”, “Fora Cunha, fica Dilma”, “Lula vale a luta” e “Meu voto tem poder”.
Diretora da União Brasileira de Mulheres no Rio de Janeiro, Dilcéia Quintela afirmou que a vida do povo brasileiro melhorou muito nos últimos 12 anos, mas que, desde 2014, a presidenta Dilma Roussef não tem conseguido governar “porque quem perdeu as eleições em 2014 não deixa ela governar”.

“Estamos aqui em defesa da democracia e contra o golpe que querem dar no país. O golpe seria o impeachment da presidenta da República sem nenhuma prova contra ela. O que tem de prova contra a Dilma? Até agora não apresentaram nada. Então, porque que abriram ontem a comissão de impeachment. O presidente da Câmara é quem deveria ser impedido.”
O presidente da CUT Rio, Marcelo Rodrigues, explicou que o ato a favor da democracia foi “para dizer que não vai ter golpe”. “Hoje em dia quando se fala em golpe não é mais de baioneta e tanque na rua. É um golpe midiático-judiciário, com grandes veículos comprando delação e comprando vazamento seletivo dado por um juiz que acha que manda mais do que a Justiça. Esse é o golpe em curso. Os últimos acontecimentos só reforçam a impressão de que há um golpe em curso e precisamos resistir. E golpe se resiste com o povo na rua.”
O produtor cultural Pablo Capilé, idealizador do coletivo Fora do Eixo, disse que diversos setores da sociedade se uniram contra o que chamou de “golpe midiático”. “Tem uma oposição bandida que está tentando subverter o estado de direito e impor que uma quadrilha tome de assalto a República. Isso não pode acontecer. Estamos nos somando, CUT, MST, Levante Popular da Juventude, UNE, UJS, Fora do Eixo, artistas, intelectuais, ativistas, sindicalistas, trabalhadores, camponeses, sem-seto. Estamos juntos”.
A atriz Letícia Sabatela, que durante a semana apareceu ao lado de outros artistas em dois vídeos divulgados pelas redes sociais, um em que fala contra a corrupção e favor da democracia e outro em que chama para o ato de hoje, também defendeu o estado democrático de direito.
“É a hora de a gente se unir, mais do que nunca, mesmo com toda as questões contrárias ao governo. A gente tem de exigir uma reforma política e não a manutenção desse estado de corrupção. Temos de lutar por essa democracia adquirida a duras penas, de modo que ela não se esvaia de nossas mãos. Que a gente não perca isso pela imposição, pela força e truculência. Estamos vendo o povo brasileiro sendo tratado como massa de manobra.”
O músico Gabriel Muzak disse ter receio de que as “gangues reacionárias” tomem o poder na marra. “Na marra eles não vão tomar. Tem muita gente, como eu, que não está aqui por questões partidárias ou para defender um lado de uma polarização, mas porque acha importante para o fortalecimento da democracia, para que as leis que regem a gente não sejam atropeladas por interesses maiores do que isso que não está sendo mostrado”. Ele fez críticas ao governo, principalmente à pouca atenção dada à sustentabilidade e a relação com o agronegócio.
Integrante do Associação Brasileira de Geólogos de Petróleo, Silvia Anjos afirmou que a disputa política que o Brasil vive atualmente está diretamente relacionada à exploração do pré-sal.
“Toda essa oposição fala em corrupção, mas os interesses reais são econômicos. É o pré-sal, o petróleo. Estamos vivendo uma primavera árabe, sem guerra e sem sangue, mas pela luta da mídia, que está comprada e interessada em entregar nosso patrimônio. A mudança [no marco regulatório do pré-sal] foi proposta pelo senador José Serra (PSDB-SP). A Dilma tem chance de vetar, mas a oposição quer entregar”.
Muitas pessoas ocuparam também a escadaria e a frente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), ao lado da Praça 15. Por volta das 20h a praça começou a se esvaziar.
Edição: Armando Cardoso

Avião cai na Rússia durante pouso

Um Boeing 738 da companhia aérea FlyDubai, com 62 passageiros a bordo, caiu hoje (19) na Rússia ao tentar aterrissar no aeroporto de Rostov-on-Don, no sul da país, de acordo com o Ministério para Situações de Emergência russo.

As 62 pessoas a bordo morreram. “Havia 55 passageiros e sete membros da tripulação a bordo. Morreram todos”, informaram os investigadores russos.

Todos os passageiros tinham nacionalidade russa, incluindo quatro crianças. A tripulação era formada por seis estrangeiros e um russo.

“A FlyDubai lamenta confirmar que o seu voo FZ981 caiu durante a aterrissagem e o número de vítimas deste trágico acidente”, informou a companhia aérea em comunicado.

Segundo a companhia, o avião saiu do aeroporto internacional do Dubai na sexta-feira às 15h20 (hora de Brasília).

O avião caiu a cerca de 100 metros da pista de aterrissagem, durante uma segunda tentativa para pousar no aeroporto de Rostov-on-Don em condições de má visibilidade.

Chovia bastante hoje de manhã em Rostov-on-Don e o Ministério para as Situações de Emergência russo tinha lançado um alerta de ventos fortes.

Investigação

Uma investigação criminal sobre o acidente foi aberta para investigar se houve violação das normas de segurança ou negligência.

“Uma possível falha do piloto” está entre as possíveis causas em análise, disse Jeanna Terekhova, assessora do Ministério dos Transportes russo.

A companhia aérea FlyDubai foi criada em março de 2008. A empresa se comprometeu a investigar o mais rápido possível as causas o acidente. As autoridades russas já encontraram uma das caixas-pretas do avião e mantém as buscas pela segunda.

A empresa norte-americana Boeing, fabricante do avião, também se ofereceu para prestar assistência técnica na investigação do acidente aéreo.

“A Boeing está pronta para prover assistência técnica quando o peçam as agências governamentais que levam a cabo a investigação”, informou a empresa em comunicado, no qual se solidarizou com as famílias e amigos das vítimas, a quem enviou seus “pensamentos e orações”.

EXCLUSIVO: SHOW DE LÉO SANTANA EM ILHÉUS, TERMINA COM SPRAY DE PIMENTA NA PRIME HALL

Na madrugada deste sábado, 19 de março de 2016, por volta dás 3:35,
um fato misterioso e de aflição, aconteceu na boate prime Hall em
Ilhéus.
O Cantor Léo Santana, fazia uma apresentação na nova
casa de shows da cidade, quando tudo estava lindo e perfeito, tornou-se um
filme de terror.
Uma enorme
quantidade de gás de pimenta foi distribuído no local por um grupo
ainda não identificado na hora da festa, atingindo as pessoas que se
encontravam na pista, camarote e em toda parte do evento, causando pânico
e alvoroço a todos que se faziam presentes na boate, atingindo olhos e
garganta dos participantes.

Pessoas começaram a desmaiar, ficaram
sufocadas, saindo em desespero pela porta de emergência em busca de
ajuda. O Cantor e sua banda também foram atingidos pelo gás, deixando o
local de imediato, em busca de socorro e explicações.

Algumas
pessoas afirmam que foi armação, uma tentativa de sujar com a imagem da
boate, já que na inauguração, ocorreu fatos lamentáveis, que foram
corrigidos no show do cantor Tayrone Cigano, vale lembrar que as
torneiras dos banheiros foram quebradas proposital para evitar ajuda de
água.

Uma investigação será apurada, para realmente desvendar esse mistério que apavorou as pessoas que se encontravam na boate.

Fica no ar a pergunta, quem jogou gás de pimenta na prime Hall?

TEXTO E FOTO : THIAGO RAPOSO.

Web Link

Weblink Hospedagem de Sites

Técnico em informática

Técnico em informática

Ultra Li

Agência Digital com experiência 100% focada no online, atuando com o desenvolvimento de sites e soluções completas para a internet.

Solicite seu orçamento Aqui