Saúde

Prefeito de Ilhéus recebe nova ambulância para o município

O prefeito, Mário Alexandre ao lado da ambulância que integrará a frota do município – Foto Secom

O prefeito, Mário Alexandre ao lado da ambulância que integrará a frota do município – Foto Secom

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, esteve, nesta quinta-feira, 16, na sede da secretaria de Saúde do Estado, em Salvador, para assinar o termo de doação de uma ambulância que integrará a frota do município. O equipamento é fruto da emenda impositiva da deputada estadual Ângela Sousa, com o objetivo de modernizar e garantir mais qualidade ao serviço de assistência médica aos ilheenses. Continue lendo

Prefeitura promove capacitação para agentes públicos da Saúde de Ilhéus

Alex Santos de Souza, Controlador Geral do Município - Foto Secom

Alex Santos de Souza, Controlador Geral do Município – Foto Secom

O prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, fará a abertura do ciclo de orientações dirigido aos agentes públicos lotados na Secretaria de Saúde, que acontecerá no próximo dia 21, das 14 às 17 horas, no auditório da Biblioteca Pública Adonias Filho (antigo prédio General Osório). O evento faz parte do programa de capacitação continuada promovido pela Controladoria Geral do Município. Desta vez, o tema principal da capacitação é “O papel da controladoria na saúde.”

O ciclo de orientações prosseguirá na quarta-feira, dia 22, no mesmo horário e local, como tema “Transparência pública e acesso à informação municipal, nas perspectivas do Ministério Público Federal (MPF), Controladoria Geral da União (CGU), Ministério Público Estadual (MPE) e Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) da Bahia”. Para este tema são convocados servidores da administração e interlocutores da Transparência Municipal, além de representantes do grupo de trabalho que vão participar da criação do Sistema de Transparência e Controle Social do Município. Continue lendo

Diagnóstico tardio de câncer de mama preocupa mastologistas

A mamografia, exame que detecta o câncer de mama, aliado ao exame clínico e ao autoexame são considerados elementos essenciais para a prevenção de novas mortes pela doença, disse hoje (5) o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Antônio Luiz Frasson. Neste domingo, é celebrado o Dia Nacional da Mamografia.

Segundo a SBM, o Brasil registra 58 mil casos de câncer de mama por ano e a maioria é detectada com lesões muito grandes. “Aproximadamente 50% dos casos são detectados com mais de 5 centímetros. Isso significa que existe um descaso com o problema”, informou Frasson. Outra dificuldade, segundo ele, é o acesso ao tratamento quando a mulher detecta um tumor.

O presidente da SBM disse que o retardo do diagnóstico preocupa a todos os mastologistas. Cada milímetro de tumor implica risco de mais ou menos 1% de que a doença se espalhe. Caso se detecte um tumor de 5 centímetros, o risco de que, no momento do diagnóstico, já exista metástese é muito alto. Continue lendo

Conheça nove erros ao tomar remédios via oral

Desde 2009, a Anvisa estabeleceu que todos os remédios devem ser acompanhados da bula do paciente, além da bula técnica já comum nos produtos. Na bula do paciente, deve ser especificada a forma como ele deve ser ingerido e seus riscos específicos de forma clara e objetiva. No entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre a melhor maneira de tomar uma medicação e outras crenças tão comuns que sequer são colocadas em dúvida – e muitos desses hábitos podem não só interferir na eficácia do medicamento, como também prejudicar seu organismo. Confira os erros mais comuns na hora de ingerir uma medicação:

Tomar o medicamento acompanhado de líquidos com sabor

O líquido mais indicado para acompanhar a ingestão de todos os tipos de medicamentos é a água. “Isso porque algumas medicações desencadeiam reações químicas quando ingeridas com sucos, leite, refrigerantes, chás ou café, que podem comprometer sua eficácia”, explica a clínica geral Fernanda Galvão, da Amil, em Brasília. De acordo com a especialista, um bom exemplo são os antibióticos com tetraciclina na composição – essa substância reage na presença de cálcio, e portanto tem sua eficácia comprometida se ingeridos com leite.

Outra combinação perigosa e muito conhecida é remédio e bebidas alcoólicas. “O álcool pode tanto potencializar quanto neutralizar os efeitos de um medicamento, em alguns casos ativando enzimas que transformam o remédio em substâncias tóxicas para o organismo”, alerta a clínica geral Fernanda. Por isso, na dúvida, sempre tome seus medicamento acompanhados de água apenas. Continue lendo

Ibuprofeno alivia pouco dor nas costas e tem efeitos colaterais

Após a ciência indicar que o paracetamol não é eficaz contra dores na coluna, um novo estudo conclui que o uso de ibuprofeno e aspirina não tem impacto clínico significativo no tratamento desse tipo de problema.

Após a ciência indicar que o paracetamol não é eficaz contra dores na coluna, um novo estudo conclui que o uso de ibuprofeno e aspirina não tem impacto clínico significativo no tratamento desse tipo de problema.

As substâncias do grupo de drogas anti-inflamatórias não esteroides são eficazes contra a dor nas costas, mas o efeito é muito pequeno.

Pesquisadores do Instituto de Saúde Global da Austrália realizaram um experimento com um grande grupo de pessoas que tiveram pouca ou nenhuma melhora atribuída aos efeitos dos medicamentos.

As 6.065 pessoas que participaram apresentaram 2,5 vezes mais chances de desenvolver problemas gastrointestinais, como úlceras e sangramentos.

“Não estamos argumentando que não se deve usar nada para aliviar a dor, mas as pessoas que usam esses tipos de medicamentos precisam saber que os benefícios são pequenos, que os seus efeitos colaterais podem ser danosos, e que conversar com médicos sobre os benefícios de outros tratamentos, como o exercício físico, pode valer a pena”, afirmou a pesquisadora Manuela Ferreira, ao The Guardian. Continue lendo

Zika: OMS admite que ainda está ‘no escuro’

Zika-Virus

Um ano depois de decretar emergência internacional por causa da proliferação do vírus da zika pelo mundo, a cúpula da Organização Mundial da Saúde (OMS) admite: “ainda está no escuro” diante de vários aspectos da doença, mesmo que muitas perguntas sobre o vírus tenham sido respondidas. A constatação faz parte de um documento usado pela OMS em uma reunião com doadores em janeiro para atualizar a comunidade internacional sobre quais serão os próximos passos.

A agência de saúde da ONU estima que são pelo menos cinco as perguntas ainda sem respostas definitivas: Qual é o risco absoluto da síndrome congênita do zika? Quais os fatores de risco para a microcefalia? Qual é a extensão da infecção em áreas com o mosquito? Qual é o risco de transmissão sexual? E qual é o papel da imunidade natural em diferentes regiões com surtos que tenham ocorrido no passado?

Só que a entidade já declarou o fim da emergência e optou por transformar o cenário de urgência em programa de longo prazo. Ao Estado, pesquisadores da agência admitiram que a luta contra o zika será longa e onerosa para os governos. Além de lidar com o mosquito vetor da doença, eles precisam preparar-se para ajudar famílias a lidar com crianças com má-formação e problemas que ainda nem sequer são conhecidos.

No caso do Brasil, dados recebidos pela OMS nos últimos dias apontam que o verão fez ressurgir o número de casos, ainda que em um volume menor que o do surto de 2015 e 2016. Ainda assim, fontes dentro da própria OMS criticaram o fim da emergência, alertando que a decisão retirou o foco de doadores e foi prematura. Continue lendo

ILHÉUS: ENTRE A CRUZ E A ESPADA, RACIONAMENTO PODE POTENCIALIZAR UMA EPIDEMIA DE DENGUE, ZIKA E CHIKUNGUNYA

A Secretaria Municipal de Saúde de Ilhéus segue em estado de alerta contra a dengue, zika e febre chikungunya mesmo sem aumento significativo dos casos notificados.

Um dos motivos apontados pelo setor de Saúde para o surgimento dos casos de arboviroses é o acúmulo de água parada irregular pela população que com um possível racionamento potencializa o crescimento das larvas do mosquito e consequentemente das arboviroses. Como o reuso de água vem sendo uma alternativa para enfrentar a crise hídrica, muitos moradores armazenam água da chuva em recipientes sem tampa, o que pode ser um potencial criadouro do mosquito Aedes aegypti.

Foi o que constatou a equipe de Controle de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde em visitas recentes na crise hídrica que o município enfrentou em 2016. Agentes do setor localizaram recipientes com água e declarada de reuso por parte de moradores, e havia sinais de proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, febre amarela e da febre chikungunya.

Os agentes chegaram a encontrar larvas em recipientes com água que, segundo o morador do imóvel, era água de reuso ou aquela água de chuva passageira. Isso preocupa bastante, pois sabemos que essa água é útil e precisa ser aproveitada, mas com os devidos cuidados.

Segundo os técnicos do setor de combate as endemias, a proliferação do mosquito Aedes aegypti é usual em ambiente com água limpa e parada. Contudo, os agentes vêm constatando que muitas pessoas utilizam a água com amaciante, misturando-a com água da chuva, por exemplo. Com essa diluição, a água estaria ficando em condições para que o mosquito se prolifere. Continue lendo

Ministério da Saúde reabre inscrições do Concurso Público para cargos de nível superior

O Ministério da Saúde comunica a todos que estão reabertas as inscrições do Concurso Público destinado a preencher 102 vagas em cargos de nível superior para exercício e lotação nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas que compõem a Secretaria Especial de Saúde Indígena.

Para concorrer as vagas de Administrador (34), Analista Técnico de Políticas Sociais (34), e Contador (34), os profissionais devem se inscrever entre às 17h do dia 06 de janeiro de 2017, até às 17h do dia 10 de janeiro de 2017.

A ficha está disponível no site do Idecan www.idecan.org.br. Não se esqueça de pagar a taxa de participação por meio de GRU.

Os profissionais devem atuar em jornada de 40h semanais de trabalho, e vão receber salários variáveis de R$ 4.784,27 e R$ 5.744,88, acrescido ainda de auxílio alimentação no valor de R$ 458,00,

Vale ressaltar que as vagas estão distribuídas entre os municípios de Maceió – AL; Altamira – PA, Cruzeiro do Sul – AC, São Gabriel da Cachoeira – AM, Rio Branco – AC, Tabatinga – AM, Macapá – AP, São Félix do Araguaia – MT, Salvador – BA, Fortaleza – CE, Cuiabá – MT, Belém – PA, Florianópolis – SC, Colider – MT, Redenção – PA, Boa Vista – RR, Curitiba – PR, Manaus – AM, São Luiz – MA, Campo Grande – MS, Lábrea – AM, Tefé – AM, Governador Valadares – MG, Parintins – AM, Recife – PE, Porto Velho – RO, João Pessoa – PB, Itaituba – PA, Palmas – TO, Atalaia do Norte – AM, Cacoal – RO, Barra das Garças – MT, Canarana – MT, Boa Vista – RR. Continue lendo

Imunização: confira o calendário completo de vacinação infantil

Para manter a saúde do seu filho em dia, prevenir, controlar e eliminar diversas doenças, nada melhor do que manter o calendário de vacinação em dia. Mas como funciona o calendário vacinal infantil e em que idade tomar cada uma delas?

Antes de tudo é imprescindível lembrar que a população busque as Unidades de Saúde para a atualização da Caderneta de Vacina, pois é de suma importância que todos estejam protegidos. A caderneta é um documento e é necessário que sempre o usuário o leve para as próximas vacinações, pois ele comprova quais vacinas já foram tomadas e quais ainda faltam para completar os esquemas.

Confira abaixo como funciona o calendário de vacinação infantil no município:

Ao nascer: O Recém Nascido deve tomar as vacinas:BCG que previne as formas graves de Tuberculose;

Hepatite B que previne a infecção pelo vírus Hepatite B.
Aos 2 meses: Deve-se tomar as vacinas: Continue lendo

Confusão entre diagnósticos de dengue, zika e chikungunya preocupa Fiocruz

Vinícius Lisboa – Repórter da Agência Brasil

A previsão de epidemias de zika, dengue e chikungunya no estado do Rio de Janeiro vai exigir das unidades de saúde a capacidade de identificar as diferenças entre os vírus, todos transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, o que preocupa a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A confusão entre os diagnósticos pode ser perigosa para os pacientes, porque as doenças exigem tratamentos diferentes, segundo o coordenador da Rede Dengue, Zika e Chikungunya da Área de Atenção da Fiocruz, José Augusto de Britto.

“A preocupação é grande. Os profissionais precisam de capacitação para que aprendam a fazer o diagnóstico diferencial entre as três doenças. Se for dengue e estiver tratando como zika, a pessoa pode morrer”, alertou Britto. A Fiocruz propôs ao Ministério da Saúde a realização de um curso para capacitar os profissionais de saúde sobre as três doenças, o que ainda está em estudo. Continue lendo

Publicidade
Publicidade
CAUA
CAUA
Hospedagem de Sites
Weblink Hospedagem de Sites
Técnico em informática
Técnico em informática
Zona de Impacto
Zona de Impacto
Anuncie aqui
Anuncie aqui
Publicidade
Ultra Li
Multi Serv Tecnologia
Multi Serv Tecnologia
Publicidade