Publieditorial

OPINIÃO: Querem derrubar a Secretária de Saúde, a “pistolagem” política não sobrevive longe do poder

Sertão é onde manda quem é forte, com as astúcias. Deus, mesmo, se vier, que venha armado JÁ DIZIA Guimarães Rosa.

A frase acima é do clássico Grande Sertão: Veredas, talvez o maior romance escrito por um brasileiro em todos os tempos.

E os clássicos assim se tornam porque capturam as verdades permanentes, o que no nosso caso é mais do que evidente.

Os pistoleiros, sabem a polícia, do Ministério Público e do Judiciário, transitam na Secretaria de Saúde de Ilhéus servindo a quem lhes paga o dedo assassino. Infiltram, matam e morrem sem dar sinal de vida.

Em Ilhéus é e sempre foi assim. Apesar de certa “hibernação” do crime de mando por aqui – no sul da Bahia e nas outras regiões do estado – desde que a Polícia Federal, Polícia Civil, através do MPE decidiu sair da toca, no período em que foi realizada a Operação Citrus, eles nunca deixaram de fazer morada por aqui.

Mas os donos da pistola – os que mandam – continuaram a exercer seu poder à base de medo e de “boicote”.

Em Bandidos, o historiador Eric Hobsbawm criou uma categoria social que nos serve como uma luva, desde sempre: a do “bandido social”.

Os traços comuns desse personagem: ele é temido, acima de tudo, mas exerce a sua caridade para que garanta a fidelidade daqueles a quem ajuda – e que têm por obrigação espalhar o gesto de calculada generosidade. Mas segue, o personagem do genial historiador, a definitiva cartilha deixada por Nicolau Maquiavel (O Príncipe).

Ele “descobriu” que o ideal – para o poderoso – é ser amado e temido, “mas como é difícil reunir as duas coisas, é muito mais seguro – quando uma delas tiver que faltar – ser temido do que amado”.

Os pistoleiros, que transitam sem obstáculo na secretaria de saúde controladas por algum coronel sem farda, são uma peça importante nesta nossa permanência no atraso. Mas eles só existem porque os seus patrões nunca deixaram de ser recebidos em palácios. O tapete vermelho, uma cor tão emblemática da prática política deles, é a passarela por onde desfilam sua arrogância e a certeza da impunidade. Continue lendo

Enem: colunista faz ‘redação modelo’ sobre educação para surdos

No Brasil existem mais de 9,5 milhões de portadores de deficiência auditiva e uma das maiores dificuldades que essas pessoas enfrentam é a falta de comunicação com as pessoas que não sabem libras. Com o projeto Giulia esta comunicação agora é possível. Isto acontece através do uso de um bracelete que identifica os movimentos dos braços e das mãos, transmitindo as informações para um Smartphone via Bluetooth.

No Smartphone o aplicativo é processado baseado em inteligência artificial que interpreta os gestos do corpo relacionados à Língua Brasileira de Sinais – Libras e sintetiza em voz eletrônica a frase correspondente.

O projeto Giulia criado e desenvolvido pela Map Tecnology, tendo como projetista professor da Faculdade de Tecnologia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) também lançado no dia 13 de junho de 2017 no Instituto Nacional de Educação de Surdos no RJ, este aplicativo foi pensado num aparelho que pudesse possibilitar a comunicação entre deficientes auditivos e as demais pessoas.

Estamos vivendo um momento em que a inovação está sendo o grande diferencial em todas as áreas e em todas as atividades humanas. Todavia, é importante salientar o desdobramento que o aplicativo nos trouxe, por exemplo, a maioria das pessoas hoje digita mais do que fala nos Smartphones, o tempo que se leva digitando é muito maior do que a linguagem de sinais que as pessoas deficientes auditivas conseguem descrevendo textos com o aplicativo de forma eficiente e muito mais rápido do que seria digitando letras e palavras.

Leia texto na íntegra  Continue lendo

A “escrava” que recebe R$ 33 mil, tem avião da FAB e cartão corporativo

Se ninguém pode alegar desconhecer a lei, o que dizer de uma desembargadora?

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, não recebe “apenas” R$ 33 mil e 700 por mês; somando-se as mordomias do cargo, o faturamento mensal é bem mais.

Por exemplo: a ministra não paga passagem aérea nos seus deslocamentos, porque tem direito a avião da Força Aérea Brasileira.

Ou seja: a sociedade paga os deslocamentos da ministra.

A ministra Luislinda Valois também tem direito ao “cartão corporativo”, com o qual paga as suas despesas.

Mas, talvez seja o caso de se examinar as condições físicas da ministra para saber se ela está realmente bem de saúde. Isso porque, a justificativa que deu para o pleito é ainda mais séria.

-“O Brasil está sendo injusto comigo” – escreveu a ministra na sua absurda e imoral petição.

Ela quer ganhar R$ 61 mil, que somados aos penduricalhos como deslocamento em avião da FAB e o “cartão corporativo”, somariam mais de R$ 70 mil. Continue lendo

Memórias e Narrativas: Exposição Fotográfica ‘’Mojubá – Um olhar sobre o Mensageiro’’ por Elder Ribeiro

Este ensaio tem como objetivo resgatar, documentar e retratar os momentos históricos da exposição “Mojubá – um olhar sobre o mensageiro”realizada no espaço cultural Casa da Música de Itapuã, a partir de uma coletânea de fotos retiradas das coberturas feitas nas festas públicas da Casa do Mensageiro, na quala curadoria foi feita por Babá Rychelmy, tendo como foco a representatividade para o maior número possível de integrantes da sua família de Santo, então a própria curadoria foi dirigida de forma prática e artística, e daí possivelmente, a fotógrafa Andréa Magnoni deu orientações sobre algumas fotos que melhor marcavam a presença de determinado filho, tentando equilibrar esses marcadores às imagens mais belas. O objetivo central da exposição foi basicamente mostrar a família de Santo em seu 10º ano de existência. Não foi uma exposição pensada num viés estético ou conceitual e sim de retratação do momento da Casa em 2015.

Veja trabalho completo abaixo:

Continue lendo

ILHÉUS: Cacá quer deixar de ser personagem do folclore político em 2018

Foto montagem da página Jabes Rancoroso.

O Ex-Candidato a prefeitura de Ilhéus Cacá Colchões (PP) tem esperança de mudar de patamar junto ao eleitorado ilheense, particularmente em 2018.

Cacá projeta que, pelo menos, deve deixar de ser personagem do folclore local (neste item, que fique claro – ” a mula sem cabeça” já mora na memória popular).

É, de fato, uma longa história de Cacá, começando em 2006. Houve momentos em que só Cacá assegurava, diante da desconfiança geral, que iria correr sobre os trilhos até o Palácio Paranaguá, mas tinha um PMDB e um Jabes no meio do caminho.

É lembrar que o dono do PP é a família e grupo Ribeiro, desde quando foi inventado o “transporte ferroviário”. Continue lendo

Você vai pagar mais caro o preço da corrupção na sua conta de energia este mês

Conta de Luz

É inegável que o nível dos reservatórios das hidrelétricas está baixo, mas não é apenas o problema climático e/ou ambiental que traz prejuízo à qualidade de vida e ao bolso dos brasileiros, quando o tema é a conta de energia.

O que você paga, a cada mês, com valores ainda maiores a partir de agora, se deve também ao modelo elétrico brasileiro, baseado no princípio da “governabilidade de açougue”.

Desde a década de 1980, o setor elétrico no Brasil vem sendo controlado pelo ex-presidente Sarney, através dos seus representantes e aliados.

Não é só isso, é verdade, mas é também isso que faz com que as empresas de distribuição, principalmente, sejam manipuladas pelos poderosos de plantão.

A corrupção também cobra o seu preço num serviço essencial como o fornecimento de energia, seja para o setor industrial (comercial, também), seja na conta da sua casa, todo mês. Continue lendo

Aécio arruinou o Brasil, destruiu o PSDB e se matou politicamente

 

O senador Aécio Neves, pressionado, impôs a condição para renunciar a presidência nacional do PSDB – que o vice-presidente, Tasso Jereissati, renuncie também.

Pressionado para renunciar a presidência do partido, Aécio havia prometido dar a resposta esta semana, provavelmente nesta terça-feira 24, mas já circularam informações sobre a condição que vai impor para renunciar.

E a condição não interessa ao grupo de Jereissati, ou seja, ao PSDB paulista.

O irônico é que o Aécio não destruiu a si mesmo, mas o Brasil ao estimular as chamadas “pautas bombas”, que engessaram o governo Dilma, e o próprio partido. Na disputa para presidente, se a eleição fosse hoje, o PSDB sequer estaria no segundo turno.

Culpa do Aécio.

Chega a ser constrangedora a presença do Aécio no Senado; ele próprio se sente desconfortável.

Mas, ele vai resistir porque entende que se capitular a situação fica ainda pior.

A aposta mais forte do Aécio é na amnésia política nacional, que ele acha que vai favorecê-lo.

Parece maldição; o Aécio se juntou ao Eduardo Cunha para destruir a Dilma e os dois agora amargam as consequências da lei do retorno – os dois estão processados por roubo, enquanto a Dilma lidera a disputa para o Senado em Minas Gerais. Continue lendo

Editorial: Memórias e Expressões Artísticas, por Elder Ribeiro

Memórias e Expressões Artísticas: Ojó Igbí Orisà Rè Wo a partir das narrativas das fotografias do Ogãn Léo de Ayrá

Sidney Leonardo Silva Motta, conhecido como Ogãn Léo de Ayrá é um Fotógrafo Brasileiro que contribui significativamente para os estudos culturais e o artivismo nos espaços de culto das religiões afro-brasileiras, além de ser responsável por destacar a figura das ialorixás e dos babalorixás, através das publicações dos seus manuscritos no Site Ogãn Léo de Ayrá, especializado no tema, o qual é responsável. Homem de axé, a força sagrada de cada orixá, Sidney Motta tem experiência profissional, pessoal e religiosa no tema a que se propõe a trabalhar com os olhos críticos de artista. As criações estéticas do Ogãn Léo se traduzem em Filmagens e Edição de umbanda, candomblé, desde a obrigação de tempo no orixá, confirmação de ogãn e ekedji, festas de exús, caboclo, preto velho, camarinha e dentre outras celebrações religiosas.

Sidney Motta foi confirmado como Ogãn em 30 de março de 2012, pelo Babalorisá Josimar de Oxóssi – Axé Oswaldo Cruz, recebeu cargo de Ojú Obá (os olhos do rei) no mesmo Asé de Iniciação. Sendo assim, Sidney Motta passou a ser Ogãn Léo, filho de santo de pai Josimar de Oxóssi, neto de Marcelo de Oxaguiãn e bisneto de Iyá Nitinha de Oxum da Casa Branca do Engenho Velho em Salvador, Nação Ketu.

A empresa ‘’Ogãn Léo de Ayrá’’, criada há mais de 9 anos, de mesmo nome de seu diretor e fundador, vem se destacando no campo da difusão das religiões afro-brasileiras através de fotografias e filmagens, mostrando ao mundo o porquê e o como ocorrem os cultos afro-brasileiros, assim como seus símbolos, adereços, vestuários, gestos e danças de umbanda, candomblé, desde a obrigação de tempo no orixá, confirmação de ogãn e ekedji, festas de exús, caboclo, preto velho, camarinha e dentre outras celebrações religiosas. Continue lendo

Duplicação da Rodovia Ilhéus-Itabuna e o lado podre da política

Foto: Blog agravo

Esse imbróglio envolvendo a assinatura da ordem de serviço para a duplicação da rodovia que liga Ilhéus-Itabuna (BR-415) é a cara da política brasileira.

São todos iguais. Governistas e oposicionistas são como farinhas do mesmo saco ou, então, bananas do mesmo cacho. As exceções existem, infelizmente pouquíssimas.

A sabedoria popular costuma dizer que é assim que “a banda toca”, com a disputa pelo poder enlameando a boa política, a que visa o interesse da população.

Um lado quer que o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, assine a ordem em Brasília e não no local, já que a obra tem recursos federais.

O outro grupo, do governo Rui Costa (PT), não quer ir para o Palácio do Planalto, nem mesmo para agradecer ao presidente Michel Temer (PMDB).

Se o governador da Bahia fosse do DEM e o presidente da República do PT, a politicagem estaria acontecendo do mesmo jeito. Continue lendo

Termina sábado o prazo de filiação para os sem mandato

Quem não tem mandato, que tenha medo – se quer disputar as eleições de 2018 e ainda não está filiado a nenhum partido.

Provavelmente, o Congresso vai aprovar esta semana um pacote de mudancinhas visando brecar a presença de celebridades fora da política no pleito do próximo ano.

Como?

Estabelecendo um novo prazo para filiação dos pretensos candidatos sem foro privilegiado. (Hoje é de seis meses antes da eleição.)

Caso de Joaquim Barbosa, por exemplo, ou Ayres Brito, ambos cotados para a disputa presidencial (como possíveis vices), mas que ainda não estão filiados a nenhum partido.

Encurtando a história: este novo prazo deve acabar no próximo dia 7 (sábado).

Ou seja: é correr e se expor, ou ser excluído do jogo antes do apito inicial. Continue lendo

Web Link
Weblink Hospedagem de Sites
Técnico em informática
Técnico em informática
Ultra Li

Agência Digital com experiência 100% focada no online, atuando com o desenvolvimento de sites e soluções completas para a internet.

Solicite seu orçamento Aqui