Gays

Bolsonaro é condenado a pagar $ 150 mil a fundo de defesa LGBT.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro confirmou, nesta quarta-feira, a condenação do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) a ter que indenizar em R$ 150 mil, por danos Morais, o Fundo de Defesa dos Direitos Difusos (FDDD), criado pelo Ministério da Justiça. A 6ª Câmara Cível negou, por três votos a dois, o recurso do deputado contra uma decisão da 6ª Vara Cível do Fórum Regional de Madureira. A defesa de Bolsonaro ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A ação civil pública ajuizada pelo Grupo Diversidade Niterói, Grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Grupo Arco-Íris de Conscientização teve como base as declarações do parlamentar ao programa “Custe o que Custar”, da TV Bandeirantes, no dia 28 de março de 2011.

Durante o program de TV, Bolsonaro disse que nunca passou pela sua cabeça ter um filho gay porque seus filhos tiveram uma “boa educação”, com um pai presente. Ele ainda afirmou que não corria “esse risco”. Questionado se participaria de um desfile gay, o parlamentar disse que não porque acredita em Deus e na preservação da família. Continue lendo

Nota de repúdio do PSOL – Ilhéus às declarações homofóbicas do vereador Aldemir (PP)

Na última terça-feira (17/10) o vereador de Ilhéus Aldemir Almeida (PP) deu uma série de declarações inaceitáveis na sessão da Câmara Municipal. A começar por taxar de “vagabundos, preguiçosos e desocupados” a população que usufrui de seu direito cívico de fiscalizar o desmoralizado poder Legislativo municipal, manifestando-se contra obras de grande impacto a exemplo do Porto do Sul, o vereador atingiu seu ápice de desrespeito ao tratar a população LGBT.

Referindo-se a um episódio em Itacaré em que um casal gay se beijou em público, classificou o episódio como “afronta” “sem limites”, “uma viadagem sem precedentes”, que “tudo é uma questão de hora e lugar”, que novelas em que ocorrem beijos homossexuais “atentam contra a família” e “deveriam passar 1h da manhã”, e que “não está preocupado com o que a sociedade pensa porque a maioria é uma banda podre”.

O vereador ao fazer declarações como esta demonstra o profundo desrespeito à população LGBT, colocando-a como cidadãos com menos direitos do que outros. Além disso, demonstra o total descaso com a população ilheense, desprezando a opinião pública, o direito de manifestação, e a fiscalização do seu trabalho no Legislativo. O PSOL de Ilhéus defende que declarações deste tipo não tenham lugar e por isso defende a criminalização da LGBTfobia pois supostos representantes do povo que incitam o ódio não tem estatura ética e moral para ocupar o posto de representantes. O Brasil é recordista de assassinatos de LGBTs que encontram apoio neste tipo de manifestação Continue lendo

Léo Kret se envolve em polêmica após defender Vereador homofóbico

Foto: Varela Notícias

A artista Léo Kret se envolveu em mais uma polêmica, agora ao defender o vereador Aldemir (PP) que fez um discurso polêmico na sessão da Câmara de Ilhéus (BA), que revoltou a comunidade LGBT da cidade. Aldemir afirmou que se sente muito incomodado com “essa coisa LGBT” e narrou um episódio que vivenciou em uma praia na cidade Itacaré. Segundo o edil, teve o desprazer de presenciar “um casal gay se beijando acintosamente na barraca” enquanto desfrutava o seu dia de lazer em um ambiente com “todo mundo normal, casais heterossexuais”. Para o Vereador, o suposto episódio é “uma afronta, uma barbaridade”. (Relembre aqui)

A comunidade LGBT da cidade se sentiu ofendida com a fala do Vereador e vão promover um “beijaço” na próxima quarta-feira, dia 25 de Outubro. A população Ilheense junto com os movimentos sociais vai promover um Ato pelo fim da Homofobia! A iniciativa é uma resposta as declarações do vereador Aldemir (PP), que durante sessão da câmara, no dia 17 de outubro, proferiu discurso de ódio à população LGBT e afirmou ser contrário ao beijo público entre pessoas do mesmo sexo! (Clique aqui e veja a página do evento)

Por sua vez, Léo Kret que estará na cidade dia 29/10 para a 3ª Marcha da Diversidade organizada por Ratinho Menezes, resolveu defender por incrível que não pareça o Vereador e Médico, convidando o Vereador Aldemir para participar da Marcha e dizendo que ele não é contra a causa LGBT, haja vista que sempre ajudou o movimento, segundo ainda Léo Kret é uma questão de opinião. Todavia, contrariando a fala de Léo Kret, o Vereador deixou bem claro que os gays não deve ter o mesmo direito de demonstrar afetividade que o hétero, ou seja, um novo Apartheid Social. Ainda na fala do Vereador, os homossexuais não têm o direito de expressar ou ser quem são. 

Para o Fórum Baiano LGBT, o discurso desperta o ódio e a intolerância. “Nobre vereador, não se pode usar a prerrogativa da liberdade de expressão e livre opinião para inflamar o ódio, a intolerância, a incompreensão e a violência sobre aqueles que historicamente e diuturnamente já sofrem o peso do preconceito e da discriminação”. Continue lendo

NOTA OFICIAL: PT ILHÉUS REPUDIA FALA HOMOFÓBICA DO VEREADOR ALDEMIR ALMEIDA (PP)

O Partido dos Trabalhadores em Ilhéus vem a público manifestar repúdio e indignação diante da fala homofóbica do Vereador Aldemir Almeida-PP, na sessão na Câmara de Vereadores na última terça-feira (17). Em sua fala de ódio e preconceituosa, o Vereador se referiu ao movimento LGBT como quem pratica “Viadagem sem limites”, para repudiar o beijo de um casal homossexual na praia. O PT entende que as liberdades individuais devem ser respeitadas e os discursos de ódio, intolerância e fascismo, devem ser implacavelmente combatidos. Continuaremos na luta defendendo a igualdade e a convivência harmoniosa entre as pessoas.

O mais lamentável, porém, é que tais palavras tenham sido pronunciadas no plenário de uma casa legislativa que, teoricamente, seria o lugar onde deveria imperar a democracia, o respeito e a promoção da igualdade de classe e de gênero. Continue lendo

Vereador Aldemir espalha discurso de ódio ao publico LGBT na Câmara de Ilhéus.

Foto Andrei Sansil

Na sessão ordinária da última terça-feira (17), o Vereador Aldemir surpreendeu os presentes com um discurso enfático sobre situações do cotidiano que envolve casais homoafetivos.

Ademir iniciou afirmando que se sente muito incomodado com “essa coisa LGBT” e narrou um episódio que vivenciou em uma praia na cidade Itacaré. Segundo o edil, teve o desprazer de presenciar “um casal gay se beijando acintosamente na barraca” enquanto desfrutava o seu dia de lazer em um ambiente com “todo mundo normal, casais heterossexuais”. Para o Vereador, o suposto episódio é “uma afronta, uma barbaridade”.

Acrescentou: “existem verdadeiros desorientados nesses grupos LGBT’s, então eu acho que tudo é uma questão de hora e lugar. Você quer passar uma novela onde um homem beija outro homem, passe 1 hora da manhã. Se você quer passar uma novela que tem duas mulheres se beijando, passe 1 hora da manhã […]”. Pois, “um tipo de programa desse só faz atentar contra a família”. Continue lendo

Ilheense conta que está adorando ser gay na nova novela: ‘As mulheres se aproximam mais de mim’

Entre a aridez do sertão pernambucano e o chão purpurinado do salão Glitter Gloss, no Tocantins, brilha o ilheense Fábio Lago. Em cartaz nos cinemas como o rude cangaceiro Orelha, do filme “Entre irmãs”, de Breno Silveira, o ator surgirá transformado e feminino na TV, a partir do próximo dia 23, quando estreia “O outro lado do paraíso”, nova novela das 21h da Globo.

— Gosto de passar por mudanças extremas, poder transitar entre o drama e o humor. Por um personagem, faço o que for. Até tirar um dente, se valer a pena — afirma Lago, que na época de “Caras & bocas” (2009) chegou ao auge das experimentações, divertindo o público com várias caracterizações, do cupido à baiana do acarajé, para que seu Fabiano seguisse a mulher sem ser descoberto.

Agora, com sobrancelhas delineadas, megahair de mechas louras, brincos nas duas orelhas, brilho labial, unhas esmaltadas e uma boa dose de feminilidade, o ator está pronto para dar vida a Nicácio — ou Nick, como prefere ser chamado —, o cabeleireiro-estrela da obra de Walcyr Carrasco.

— Antes de a novela ir ao ar, resolvi levar o jeitinho do personagem às ruas. Saio de brincos e unhas pintadas, solto o cabelão… As pessoas me olham torto, confusas. Acho que não acreditam que aquele ali é o Baiano de “Tropa de elite”. Na minha companhia, meus amigos machões ficam sem jeito e começam a se soltar também. Essa leveza do Nick irradia — conta Lago, aos risos: — Estou adorando esse estado gay! Você fala barbaridades para as pessoas e elas riem! As mulheres se aproximam muito mais de mim assim do que do Fábio normal. Elas elogiam meu cabelo, perguntam sobre o megahair… A empatia é maior, sabe? A delicadeza é um chamariz num mundo tão machista.

Divertido, fofoqueiro e meio brega, Nick tem como clientes as peruas da alta sociedade de Palmas. Assumidíssimo, parece não ter passado por conflitos internos com relação a sua homossexualidade, mas é vítima de violência moral e física. Continue lendo

DJ Neto Nogueira e Banda Di Bali conquistam o público na Parada LGBT de Ilhéus.

No ultimo domingo(24), aconteceu a PARADA LGBT de Ilhéus onde atraiu um grande multidão não só do público gay, como também dos héteros que apoiam a causa contra o preconceito e homofobia. E algumas das atrações do evento se destacaram e seguraram o público até o fim de suas apresentações, foram elas Banda Di Bali que com seu repertório diferenciado que vai do axé ao pop, sertanejo e pagodão, conquistou não só o público que comentam até hoje pela cidade sobre quão boa a banda é, como também ao Prefeito Marão que esteve presente no evento, e quando o horário da banda foi encerrado pediu para que a mesma continuasse sua apresentação. A Banda Di Bali é de ilhéus e é comandada por Amanda Andrade que fará 20 anos a frente da banda.

Outra atração que também esteve em destaque foi o DJ Neto Nogueira que usou uma modalidade musical chamada tribal (modalidade essa que o segmento LGBT ama) justamente para conquistar o público alvo do evento, e ainda conseguiu esse feito, levando a galera ao delírio quando ele tocou a música Gabriela em uma versão mixada. Continue lendo

Parada LGBT reforça combate à homofobia e luta por direitos iguais

Um ato de combate ao preconceito e a homofobia. Por direitos e pela vida. A Parada LGBT realizada neste domingo deu um colorido especial à avenida Soares Lopes. A organização foi de Léo Novaes e Diala Magalhães. Além de chamar atenção da sociedade para as suas garantias como cidadão e cidadã, manifestantes aproveitaram o evento para protestar contra a violência que resultou na morte de Tyrone Thomaz de Aquino, ativista do movimento, assassinado em Ilhéus. O evento animou a avenida com apresentação de bandas no trio elétrico e a presença de militantes ícones do movimento, como Aysha Pink, a DJ Kelly Cooper e Fera Sunshine. Continue lendo

O Fórum Baiano LGBT lança Moção de repúdio ao grupo gay eros e apoio Parada LGBT de Ilhéus 2017

O Fórum Baiano LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) é uma entidade estadual que reúne 84 grupos de todo o estado que lutam por direitos humanos e por direito à livre orientação sexual e identidade de gênero.

O Fórum Baiano LGBT vem por meio desta moção repudiar o Grupo Gay de Ilhéus a eros na pessoa de Waltécio Costa por falsas declarações com requintes de estímulos ao vandalismo, e violência tentando com suas falsas declarações nas redes socais cancelar a parada lgbt de Ilhéus e também por querer desqualificar o grupo Lesbos, pois o mesmo estar na organização da parada LGBT da cidade. Nesse sentido, o fórum Bahiano LGBT repudia todas essas formas de agressões, fascismo, racismo, sexismo lgbtfobia, preconceitos, ou seja, repudia toda forma de opressão, patriarco e conservadorismo. Também apresentamos nosso total apoio à realização da 13ª Parada LGBT de Ilhéus no dia 24 de setembro de 2017. Com o tema “Homofobia não! Lutando pelos nossos direitos e pela nossa vida”, parada esta que promete ser um dia importante de luta pelos direitos LGBTs no Sul da Bahia, como já é tradição deste evento.

O Fórum Baiano LGBT acredita que a Parada de Ilhéus, já é um marco no calendário no sul da Bahia e para todo o nosso estado. É um patrimônio de todo o movimento LGBT baiano e deve ser tratada com responsabilidade. Num momento em que se registra um aumento nos dados de assassinatos de LGBT e o recrudescimento de ideias conservadoras e fascistas faz-se necessário unidade no movimento e nas ações políticas.

Nesse sentido colocamo-nos à disposição da Comissão Organizadora ao tempo que desejamos sucesso nesta 13ª edição do evento.

Salvador, 18 de setembro de 2017.

Fórum Baiano LGBT
“10 anos de História”

Nota do site: Para os internautas entenderem, o Grupo Eros vem utilizando as redes para informar ao público que não vai ocorrer a Parada LGBT que ocorrerá no próximo domingo. Todavia, o Grupo não informa que não irá participar, essa é a confusão formada. Vai ter Parada Gay, sim! E se o Grupo Gay se unir vai ter é duas!

Web Link
Weblink Hospedagem de Sites
Técnico em informática
Técnico em informática
Ultra Li

Agência Digital com experiência 100% focada no online, atuando com o desenvolvimento de sites e soluções completas para a internet.

Solicite seu orçamento Aqui