Gays

DJ Dan Victor se consagra como um dos DJ’s GLS mais conceituado do sul da Bahia

Foto: Divulgação

Jornalista por formação e DJ há cinco anos, Dan Victor se tornou a revelação de maior destaque nos 11 anos da Bubalooo Produções.

Iniciou no dia 12 de agosto de 2012 e segue como o mais antigo e mais estável dos residentes que já passaram pela empresa. Ele é o único com mais de quatro anos de residência e conta com 18 edições no currículo.

Em 2016, ganhou visibilidade na internet (mais de meio milhão de acessos no YouTube), após ter participado do videoclipe da música “Miga Sua Loka” da banda Na Pegada da Lôra, em que atuou como o personagem “Miga Loka” e caiu no gosto do público.

Após o vídeo, teve a oportunidade de ter sido o primeiro deejay residente da Vegas Club Bar, em Vitória da Conquista-BA e das festas Olha Ela!, em Porto Seguro.

Em Salvador, foi convidado por Anne Louise (SSA) para abrir com ela uma das noites dos famosos afters de carnaval da San Sebastian, em 2016. Além de já ter aberto a pista para nomes como Lorena Simpson (em Teixeira de Freitas), Valeska Popozuda (em Itabuna) e Pabllo Vittar (duas vezes, uma em Vitória da Conquista e outra Itabuna).

Já levou a energia do seu som para cidades como Jequié, Teixeira de Freitas, Itamarajú, Aurelino Leal e recentemente debutou na cidade de Eunápolis, onde pode estar pela terceira vez com a irreverente Inês Brasil.

Conhecido pela sua alegria e carisma, vem arrastando novos fãs a cada evento. Esses admiradores são conhecidos pelo apelido de “DV lover” uma maneira carinhosa que ele os amigos criaram para aproximar os seguidores.

Atualmente, o gerenciamento da carreira do artista fica por conta da agência UP Produções, desde a reserva de datas até a identidade visual. Continue lendo

Governo da Bahia garante nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais

Veja o decreto que foi publicado no Diário Oficial do Estado.

DECRETO Nº 17.523 DE 23 DE MARÇO DE 2017

Dispõe sobre o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis e transexuais no âmbito da Administração Pública Estadual direta, autárquica e fundacional.

O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições que lhe confere o inciso V do art. 105 da Constituição Estadual, e tendo em vista o disposto no inciso I do art. 1º, nos incisos I e IV do art. 3º e o caput do art. 5º, todos da Constituição Federal,

D E C R E T A

Art. 1º – Fica estabelecido o uso do nome social e o reconhecimento da identidade de gênero de pessoas travestis ou transexuais no âmbito da Administração Pública Estadual direta, autárquica e fundacional. Continue lendo

Travesti é morta a tiros em Arapiraca – AL após suposta tentativa de assalto

morte-de-travesti

Uma travesti identificada apenas como “Lorena” foi morta a tiros, na manhã desta quinta-feira (3), no bairro do Ouro Preto, em Arapiraca, Agreste alagoano.

Segundo informações colhidas pela equipe de reportagem da Rádio Pajuçara FM Arapiraca, Lorena teria tentado assaltar uma pessoa, que reagiu e a atingiu com vários disparos. Um espeto foi achado escondido na cintura da travesti.

Militares do 3º Batalhão estiveram no local e registraram a ocorrência. Até o momento, nenhum suspeito foi preso.

O IML de Arapiraca foi acionado para recolher o corpo até a sede do instituto, onde será periciado e liberado para sepultamento. Continue lendo

Travesti espancada em Ilhéus será transferida para hospital em Porto Seguro

Foto: Reclame Boca

Foto: Reclame Boca

A equipe médica de uma unidade hospitalar do município de Porto Seguro se prepara para cuidar da saúde da travesti Kayalla, que será transferida a qualquer momento em função de seu estado de saúde, que de acordo com amigos, é delicado e inspira cuidados. Kayalla, cujo nome na carteira de identidade é Caio, foi espancada na Avenida Antônio Carlos Magalhães, no Malhado, zona norte de Ilhéus.

O episódio de violência chocou a cidade, e ocorreu no início da manhã dessa quarta (2), por volta das cinco horas da manhã. Na ocasião, três homens espancaram a travesti, e a polícia investiga se o crime teria ocorrido em função de homofobia ou se outras razões motivaram o ataque. A travesti chegou inconsciente ao hospital.

Médicos informam que Kayalla permanece sedada. Familiares e amigos da vítima já aguardam por sua transferência para Porto Seguro. Uma mobilização está sendo organizada nas redes sociais convocando os ilheenses para um protesto contra a agressão sofrida pela travesti e contra a homofobia. O protesto deve ocorrer no Malhado na próxima sexta feira (4). Continue lendo

Os perigos dos aplicativos gay

Saúde lança ação para informar sobre aids a usuários de aplicativo gay

size_810_16_9_emojis

O Ministério da Saúde lançou hoje (29) o projeto Close Certo, uma ação de educação sexual junto aos usuários do aplicativo de relacionamento Hornet. O objetivo é promover, no período dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, ações online com informações sobre prevenção, teste e tratamento junto aos jovens homossexuais, um dos grupos vulneráveis à epidemia de HIV/aids e outras infecções sexualmente transmissíveis no Brasil.

A ação no Hornet, que tem mais de 1 milhão de usuários no Brasil, será realizada entre 1º de agosto e 18 de setembro, em uma parceria do Ministério da Saúde com o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Para divulgar o projeto, o aplicativo vai enviar quatro mensagens inbox a todos os usuários informando sobre a ação e com conteúdo do Ministério da Saúde. Continue lendo

Homens casados contam por que mantêm relacionamentos gays

gaysYannik D´Elboux
Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

“Namorei cinco anos um amigo da família, que morava perto, mas minha mulher nunca soube”, conta Pedro*, 50, vendedor de uma multinacional, casado há 25 anos e pai de duas filhas, de 18 e 21 anos. Apesar de se reconhecer como homossexual, ele mantém o casamento para não prejudicar a vida que estabeleceu, inclusive profissional, e por medo de magoar as filhas. “Não sei se conseguiria encará-las.”

Poucos sabem da vida dupla de Pedro. Avesso à exposição e ao mundo gay, ele confessa que é preocupado demais com o “que os outros vão falar”.
Para satisfazer seus desejos, o vendedor teve relacionamentos discretos com outros homens ao longo dos anos. Com o rapaz com quem namorou por cinco anos, que também era noivo de uma mulher na época, Pedro tinha o disfarce perfeito para a família. Os dois trabalhavam no mesmo segmento e viajavam juntos para atender clientes.

Apesar de conseguir acomodar vidas paralelas, Pedro revela o desgaste de ter de mentir. “É cansativo ter dois papéis, porém, no momento, prefiro manter como está”, fala.

A angústia de esconder a orientação sexual da mulher por anos foi o que levou o gerente executivo Fabrício*, 31, a revelar a verdade. Há cinco anos, após dez de casamento, ele contou para ela que é bissexual e que se relacionava sexualmente com homens. “Achava que era um direito dela saber se era isso mesmo que queria para a vida dela.”

Fabrício tinha certeza de que essa revelação custaria o fim do casamento. Porém, ele não suportava mais se esconder. “Para minha surpresa, ela disse que isso não era um empecilho para manter nossa relação”, conta. “Hoje estou extremamente feliz e resolvido com minha mulher, só falta contar para minha filha”, diz o gerente, pai de uma menina de 12 anos.

Continue lendo

Moura Modas
Moura Modas
Web Link
Weblink Hospedagem de Sites
Técnico em informática
Técnico em informática